Hoje é
Entrevistas

03/12
2013

Dom Odilo concede entrevista sobre a Evangelii Gaudium

Fruto da assembleia ordinária do Sínodo dos Bispos realizada em 2012, a Exortação Apostólica “Evangelii Gaudium” é a primeira do pontificado do papa Francisco e traz com clareza as impressões pessoais do novo papa. Nesta entrevista, o cardeal dom Odi


Dom Odilo concede entrevista sobre a Evangelii Gaudium

Fruto da assembleia ordinária do Sínodo dos Bispos realizada em 2012, a Exortação Apostólica “Evangelii Gaudium” é a primeira do pontificado do papa Francisco e traz com clareza as impressões pessoais do novo papa. Nesta entrevista, o cardeal dom Odilo Scherer comenta aspectos do documento, apresentado ao mundo no Domingo de Cristo Rei. O arcebispo recomenda a leitura integral da Exortação durante o Tempo do Advento, como “boa preparação para o Natal”. A entrevista foi concedida ao jornal O São Paulo. Confira a íntegra da entrevista:

O SÃO PAULO – No Domingo de Cristo Rei, 21/11, o papa Francisco entregou à Igreja sua primeira Exortação Apostólica, “Evangelii Gaudium” (“A Alegria do Evangelho”). Que vem a ser uma “Exortação Apostólica”?

Dom Odilo Pedro Scherer – Trata-se de um documento em forma de Carta Pastoral dirigida pelo Papa a toda Igreja, tratando de um assunto especifico, ou de vários temas. É uma “exortação”, ou seja, uma orientação forte e insistente. No caso presente, é sobre a evangelização no mundo atual.

O SÃO PAULO – Qual é a relação deste documento do papa Francisco com a Assembleia do Sínodo dos Bispos de outubro de 2012, cujo tema foi “A Nova Evangelização para transmissão da fé cristã”?

Dom Odilo – A relação é estreita. De fato, depois do Sínodo de 2012, o Papa ainda não havia feito como acontece, a sua Exortação pós-sinodal sobre o tema tratado. É por isso que o papa Francisco o fez agora. Ao mesmo tempo, porém, Francisco deu nessa Exortação a sua grande palavra pessoal sobre a missão evangelizadora nos dias atuais.

O SÃO PAULO – “Evangelii Gaudium” significa “A alegria do Evangelho”. Há algum motivo especial nessa escolha do título?

Dom Odilo – Os documentos pontifícios sempre tomaram o título a partir das primeiras palavras do seu texto em latim. Com o título, o Papa já aponta que o Evangelho é a “Boa Nova”, que traz alegria e, portanto, interessa a todo homem; lembra também que o anúncio do Evangelho só é possível se experimentarmos essa alegria, que brota do encontro com Deus, por meio de Jesus Cristo, no dom do Espírito Santo. Por outro lado, lembra, ainda, que essa alegria não deve ficar presa em nós, nem ser desfrutada sozinha. O Evangelho é “Boa Nova” para todo o povo, como o anjo do Natal disse aos pastores. No fundo, o Papa vai dizendo, desde o título, que o Evangelho é um dom de Deus para vida do mundo e nós somos os seus felizes mensageiros.

O SÃO PAULO – Quais são os principais temas tratados?

Dom Odilo – A Exortação “Evangelii Gaudium” fala dos desafios e necessidades atuais da evangelização. Após uma introdução, vem logo o tema da “transformação missionária da Igreja; neste capítulo, o Papa fala da “conversão missionária” que urge fazer na Igreja, para que ela se coloque “em saída” e “em estado permanente de missão”. Nos capítulos seguintes, o documento trata da atual crise do compromisso comunitário e das tentações que os evangelizadores precisam evitar.

No capítulo 3, trata da evangelização como missão de todo o povo de Deus e dá um destaque especial à homilia e ao anúncio querigmático. No quarto capítulo, o papa fala da dimensão social da evangelização e dos pobres, como primeiros destinatários do Evangelho. Enfim, no capítulo 5 fala dos “novos evangelizadores”, que precisam ser animados de espírito novo.

O SÃO PAULO – O que o Papa pretende com esta Exortação Evangelii gaudium?

Dom Odilo – São vários os objetivos, de acordo com as partes do documento. Mas o objetivo principal é apontar à Igreja de hoje quais devem ser os rumos e preocupações da evangelização. O Papa transmite as grandes preocupações e apelos do Sínodo de 2012. Agora, Francisco mostra como a Nova Evangelização deve acontecer; fé na força do Evangelho, conversão da vida, alegria de crer, entusiasmo na missão, atenção aos pobres e a transformação do mundo de acordo com o “Evangelho da alegria”.

O SÃO PAULO – Muito se divulgou que, com este documento, o Papa promoveria uma ampla “reforma” na Igreja. É esta a intenção do Papa Francisco?

Dom Odilo – Talvez não será a “reforma” que se está imaginando… Porém, a Exortação Apostólica aponta na direção das profundas mudanças necessárias para “renovar” a Igreja. O Papa está chamando para mudanças de atitudes e posturas, de convicções e iniciativas, para que a Igreja, entendida como a inteira comunidade dos batizados, recobre a alegria da fé e do empenho missionário.

O SÃO PAULO – É possível perceber traços do Documento de Aparecida na Exortação do Papa Francisco?

Dom Odilo – Sem dúvida. Francisco leva consigo a sua experiência eclesial da América Latina e também as intuições da Conferencia do Episcopado da América Latina e Carie, de 2007, onde ele esteve presente e atuou como coordenador da Comissão de redação do Documento. Há muitos elementos do Documento de Aparecida na Evangelii gaudium.

O SÃO PAULO – Como a Exortação Evangelii gaudium deve ser acolhida pela Igreja?

Dom Odilo – Este precioso documento é um presente de Deus para toda Igreja. Deveria ser lido e estudado por todos, quanto antes. É fácil ter o texto pela Internet e, logo mais, nas livrarias católicas. Sugiro ler durante o Advento; seria uma boa preparação para o Natal! Com a leitura e a reflexão, devem surgir iniciativas de muitos tipos para levar à prática a Exortação vigorosa e paternal do papa Francisco a toda comunidade eclesia.

Card. Odilo Pedro Scherer. Arcebispo de São Paulo. Publicado em O SÃO PAULO, ed. de 03.12.2013


CONTATO

Rua Tibiriçá nº 879 – Centro
CEP: 14010-090
Ribeirão Preto/SP


Atendimento

de 2ª a 6ª feira
Das 8h às 12h
Das 13h às 17h (16) 3610 8477

Copyright © 2017 - Arquidiocese de Ribeirão Preto - Desenvolvido por Com5