Hoje é
Entrevistas

03/11
2014

Laudo aponta necessidade de reformas na Catedral

Entrevista com a professora Nainôra Maria Barbosa de Freitas. Na quarta-feira, 16 de outubro de 2013, a Catedral Metropolitana de São Sebastião recebeu do Centro Tecnológico Falcão Bauer o laudo técnico encomendado para averiguar os problemas e


Laudo aponta necessidade de reformas na Catedral

Na quarta-feira, 16 de outubro de 2013, a Catedral Metropolitana de São Sebastião recebeu do Centro Tecnológico Falcão Bauer o laudo técnico encomendado para averiguar os problemas estruturais como infiltrações, rachaduras, e as condições atuais de integridade do prédio. Os dados e informações do laudo foram apresentados em coletiva de imprensa na quinta-feira, 17 de outubro, na Catedral de São Sebastião. Nomeada pela Catedral de São Sebastião e Cúria Metropolitana de Ribeirão Preto, a historiadora Nainôra Maria Barbosa de Freitas, apresentou os resultados do laudo e defendeu a valorização deste bem patrimonial e histórico que é a Catedral. Para Nainôra entre os vários problemas estruturais apresentados no laudo a questão do trânsito é primordial. Em muitos dos grandes monumentos históricos do mundo não há trânsito no seu entorno, e os que possuem trânsito no seu entorno enfrentam esses problemas estruturais. E citou como exemplo o Theatro Pedro II, na região central de Ribeirão, protegido pela ausência de trânsito e apenas em ocasiões especiais existe o acesso na Esplanada do Theatro.

Leia os principais pontos da entrevista coletiva no formata de perguntas e respostas.

Qual a razão desta coletiva?

Nainôra -Primeiro eu queria justificar porque eu estou aqui e não o padre Francisco, padre Eduardo ou padre Alessandro. Eu sou historiadora da área da História da Igreja, eu tenho um doutorado sobre a criação da diocese de Ribeirão Preto e um estudo sobre a construção da Catedral de Ribeirão Preto. Além disso, eu trabalho com o patrimônio cultural e defendo na imprensa essa posição da Catedral como um patrimônio cultural de Ribeirão Preto.

Que significado tem a Catedral para a cidade de Ribeirão Preto?

Nainôra - um dos pontos que precisa ser defendido pela imprensa: o bem patrimonial que a Catedral representa para a cidade de Ribeirão Preto. E isso independe de crença, porque a Catedral detém não apenas um conjunto arquitetônico fabuloso, mas ela possui obras no campo das artes plásticas que hoje estão tombadas. A Catedral está tombada pelo órgão máximo do Estado de São Paulo que é o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) e pelo Conselho de Preservação do Patrimônio Cultural do Município de Ribeirão Preto (Conppac).

Porque a elaboração de um laudo técnico?

Nainôra -Todos sabem que foi encomendado um estudo por parte da Catedral de São Sebastião, pelo pároco padre Francisco Jaber, e este estudo foi feito em função dos problemas físicos que a Catedral enfrenta. Esse laudo da empresa Falcão Bauer, de São Paulo, foi feito exatamente para ver quais são as condições e os principais problemas principais da Catedral. Algumas dessas questões estão ligadas a uma sedimentação e as rachaduras internas, a movimentação da estrutura, e a sedimentação do alicerce e as rachaduras.

Que resultados e problemas foram apontados pelo laudo?

Nainôra -Algumas coisas apareceram a partir deste laudo. A primeira delas é um grande trânsito de água ocasionando uma série de pontos de infiltração, por causa do sistema de irrigação dos jardins laterais, com possíveis vazamentos da rede que alimenta a praça e a própria Catedral, a rede pluvial, e vazamentos que estão sendo estudados para a localização das fontes desses vazamentos. Na praça existe um sistema de irrigação subterrâneo atrás da Catedral e isto pode também estar provocando alguns dos problemas.
Outra questão é a ausência de um calçamento lateral no entorno da Igreja, e esse calçamento possibilitaria fazer um recuo na praça e contribuiria para a manutenção da estrutura do prédio. Então é preciso pensar nestas questões.

Há outras questões levantadas pelo laudo?

Nainôra -Esse laudo constatou também a existência de cupins de terra, e esses cupins evidentemente com formigas que transitam pelo interior da Igreja, pelas rachaduras, por debaixo do piso, e por isso eles estão afetando as treliças existentes no forro da Catedral. A fragilidade do madeiramento também está ligada a isso. O solo, além dos problemas de infiltração, um solo inconstante, irregular, com pontos de argila e entulho, isso afeta as estruturas dos estuques da Catedral.

E a questão do trânsito nas ruas laterais da Catedral?

Nainôra -Há uma série de questões a serem levantadas, mas uma das questões primordiais é a do trânsito. O laudo constatou que as medidas relativas de vibração foram extremamente discretas, não são acentuadas, mas mesmo a vibração sendo discreta, o excesso de trânsito, as frenagens, os veículos pesados, qualquer intervenção desta pode agravar ainda mais o caso da estrutura do prédio. Por isso, eu defendo enquanto sociedade civil, suplente do Conppac, historiadora, pesquisadora da área da Igreja, pesquisadora da história e do patrimônio cultural de Ribeirão Preto, membro do Instituto Paulista de Cidades Criativas e Identidades Culturais (Ipccic), que na frente da Catedral, na Rua Florência de Abreu, seja cessado o trânsito, e um dos motivos é que nós temos um teatro (Theatro Pedro II) que está protegido, sem um trânsito na frente dele, o que facilita o acesso das pessoas, e o acesso ao trânsito é aberto apenas em ocasiões especiais, e na maior parte do tempo está fechado. Porque não fazer a mesma coisa na Catedral de Ribeirão Preto. Se observarmos, boa parte dos grandes monumentos históricos do mundo não tem trânsito no seu entorno, e os que possuem trânsito no seu entorno enfrentam esses problemas estruturais.

Uma das opções para a preservação seria o fechamento da Rua Florêncio de Abreu em frente Catedral?

Nainôra -Sim. óbvio que o fechamento da rua em frente Catedral é um transtorno para muitas pessoas, mas existe aí um projeto para a construção de um terminal de ônibus em frente Catedral. Se nós pensarmos que a fundação da Catedral é rasa e a partir dos problemas já existentes, nós vamos entender que essa vibração maior poderá contribuir para agravar a situação.

Quais os pontos críticos apontados no laudo e que exigem maiores cuidados?

Nainôra -Existem alguns pontos críticos que devem ser recuperados no prédio: o presbitério, a cruzeta da cruz central, as rachaduras internas, e tudo isso evidentemente, pede que sejam feitas medidas curativas. Essas medidas precisam ser feitas a médio, curto e longo prazo. Nenhuma dessas medidas pode ser feita de imediato. A recomendação do laudo é que elas precisam ser feitas num prazo curto, mas, em primeiro lugar, isso exige que a Cúria e a Catedral estudem quais medidas serão tomadas em relação ao reforço da estrutura, o retorno do calçadão, a recuperação das calçadas e o controle das infiltrações. O laudo acabou de chegar e ainda não há respostas de como essas medidas serão aplicadas num prazo rápido. Estão, sendo feitos estudos, em primeiro lugar pela Cúria e a administração da Catedral, devem ser contatados os órgãos compatíveis com o patrimônio público e a municipalidade de Ribeirão Preto. Sem dúvida é necessário uma adesão da sociedade civil. preciso uma mobilização da sociedade civil em prol da Catedral de Ribeirão Preto.

Há riscos para os fiéis e frequentadores da Catedral?

Nainôra -Uma das preocupações de ter pedido este estudo se refere a segurança dos féis. Ela é um bem patrimonial e é visitada por muitos turistas. O laudo aponta que os fiéis e demais frequentadores podem estar na Catedral sem nenhum risco.








CONTATO

Rua Tibiriçá nº 879 – Centro
CEP: 14010-090
Ribeirão Preto/SP


Atendimento

de 2ª a 6ª feira
Das 8h às 12h
Das 13h às 17h (16) 3610 8477

Copyright © 2017 - Arquidiocese de Ribeirão Preto - Desenvolvido por Com5