<

Aprimorar e intensificar o serviço da Pastoral Matrimonial – André Parreira

O tema central da Atualização Teológico- Pastoral do Clero de 2017 foi: A Família e a preparação para o sacramento do Matrimônio, e a reflexão se deu à luz da Exortação Apostólica Pós-sinodal Amoris Laetitia,  dando  ênfase às reflexões e desafios da Pastoral Matrimonial.

A atualização ocorreu nos dias 30, 31 de maio e 1o de junho, na Casa Dom Luis, em Brodowski (SP), e contou com a assessoria de André Parreira, da diocese de São João Del Rey, Minas Gerais, que juntamente com sua esposa Karina Parreira, são membros da Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF) e do Instituto Nacional  da  Família  e  da  Pastoral Familiar (INAPAF), e autores do livro “Encontros  de   Preparação  para  o Matrimônio”, publicado pela Comissão Nacional  de Pastoral Familiar; como também da Equipe Arquidiocesana da Pastoral Familiar.

O assessor, André Parreira, apresentou um  itinerário dos documentos da Igreja, e  explicitou a experiência de um trabalho de preparação ao matrimônio a partir de um material de apoio, isto é, o livro “Encontros de Preparação para o Matrimônio”,  que  tem  a intenção de propiciar  aos  casais,  noivos ou namorados,  uma reflexão profunda e discernimento durante o período de preparação ao sacramento do matrimônio.

Em  entrevista  o  assessor  André Parreira nos fala sobre a importância da Pastoral Familiar.

Igreja-Hoje -  Em geral, quais foram os temas abordados na atualização teológico-pastoral do Clero?

André Parreira - O conteúdo da atualização foi a “Família e a Preparação para o Matrimônio”. Tivemos alguns momentos teóricos para estudo dos pronunciamentos da Igreja sobre esta preparação nos documentos dos últimos 50 anos, terminando o percurso na “Amoris Laetitia”. Após a base teórica, apresentamos propostas e experiências existentes no Brasil para a preparação dos noivos na forma de acolhimento, através de vários encontros com os noivos em um itinerário catequético.

IH - A  partir  da  sua experiência no serviço  e  assessoria da Pastoral Matrimonial: quais os principais desafios na implantação e no trabalho desta pastoral?

André Parreira - O maior desafio é resgatar o valor do Matrimônio como sacramento e, como tal, necessário de preparação e discernimento. A busca dos noivos por uma preparação muito breve ou mesmo a “fuga” deles de qualquer tipo de preparação aponta a dessacralização do matrimônio e redução a um fato meramente social.

IH - A Igreja dedica uma atenção especial a família e ao trabalho da Pastoral Familiar. Como podemos melhorar a preparação ao matrimônio?

André Parreira - Podemos melhorar com a disposição dos agentes de preparação junto com seus párocos na promoção de momentos de motivação para a vida familiar, de discernimento vocacional e de preparação mais duradoura e aprofundada.

IH - Que avanços a Exortação Pós-Sinodal “Amoris Laetitia” trouxe no âmbito da preparação ao matrimônio?

André Parreira - Pela “Amoris Laetitia” a Igreja é convidada a promover mais intensos programas de preparação, um chamado forte mas não novo, pois vem sendo feito há anos pela Igreja. Na exortação fica clara a necessidade de maior atenção para com os noivos, bem como o envolvimento deles com casais e famílias que os apoiem na caminhada para o casamento e nos primeiros anos de casados.

IH - Qual motivação e inspiração levou você e Karina, sua esposa, a escreverem o livro: “Matrimônio: encontros de preparação”?

André Parreira -  Acompanhamos noivos há muitos anos e sentíamos necessidade de um material que permitisse que outros agentes fizessem o mesmo. Algumas propostas de reflexão viraram uma apostila e que foi se transformando em livro, sendo acolhido pela editora Paulinas e depois pela Comissão Nacional da Pastoral Familiar como subsídio.

IH - Em síntese, qual seria o trabalho da  Pastoral  Familiar  e  da Pastoral Matrimonial?

André Parreira - A Pastoral Familiar desenvolve um amplo trabalho. É ação que se realiza na Igreja e com a Igreja, de forma organizada e planejada através de agentes específicos, com Possui metodologia própria, tendo como objetivo a evangelização da família focando a preparação para o Matrimônio (do ventre materno ao dia do casamento), a vida de casados e família e os casos especiais como a viuvez e os casais em segunda união. É uma pastoral citada diretamente nos documentos oficiais da Igreja. A exortação Familiaris Consortio de São João Paulo II descreve claramente como deve se organizar a Pastoral Familiar e como ela deve agir. Recentemente, a exortação Amoris Laetitia do Papa Francisco também cita e pede a atuação intensiva desta pastoral. Vários outros documentos do Vaticano e da CNBB também falam da Pastoral Familiar.