Paróquia Santa Maria Goretti celebra 60 anos de criação

Com Santa Maria Goretti, sejamos fortes!
    
Iniciamos neste mês de junho, no dia 07, com a concelebração Eucarística, presidida por Dom Emilio Pignoli, Bispo Emérito de Campo Limpo e primeiro Vigário de nossa paróquia, as atividades jubilares: Jubileu de Diamante - onde somos chamados à olharmos o passado com uma imensa gratidão, o futuro com esperança e viver o momento presente, manifestando a justiça do coração – a nossa gratidão, por sessenta anos de Evangelização.

Nesta preparação me veio o interesse de saber porque a nossa padroeira é Santa Maria Goretti, uma vez que havia uma capela dedicada ao Imaculado Coração de Maria.

Com grata surpresa encontrei, em um livro publicado por ocasião do Jubileu de Ouro da paróquia, que o inspirador deste nome foi Dom Luís do Amaral Mousinho, que tinha um carinho muito grande para com a Vila Virginia, tendo como motivação, as lutas que ameaçavam a juventude feminina: “Depois veio o problema da escolha do nome. Tão angustiosas as lutas que ameaçavam a juventude feminina no que ela tem mais de puro, ameaçada de mil perigos, exposta às mais cruéis insídias... Bem preciso seria por-lhe diante dos olhos, num halo de luz, na elevação de um altar, como epônimo de uma igreja essa encantadora figura de Santa, Virgem e Mártir, apresentada na moldura de uma árdua vida de pão escasso e de excessivos trabalhos no reduto do lar e nos misteres de campo. Ela, a querida Santinha, Maria Goretti. Mas o caso é que para a Igreja ser construída, os ofertantes do terreno já tinham escolhido a seu orago, informado desse desejo, na véspera de uma viagem pastoral, e embora meio adoentado, o nosso caro Pastor Diocesano dirigiu-se à noitinha à residência do casal Álvaro de Lima, trazendo de volta o ambicionado assentimento”. (História da Vila Virginia, 1958-2008; Côn. Francisco de Assis Correia).

Agradeçamos a este zeloso Pastor, Dom Luis do Amaral Mousinho, que tão sensível a realidade de seu tempo, nos proporcionou tão excelsa padroeira; que manteve sem mancha a sua fé e sua vida.

Coloquemos no coração de Santa Maria Goretti, os nossos jovens, que ainda nos dias de hoje sofrem tantas ameaças, tais como: a cultura da dinâmica do mercado, que a pessoa é o que produz; a cultura do descartável; a cultura da subjetividade;  a diluição das tradições culturais e religiosas, que geram pessoas frustradas, ansiosas e angustiadas; o mercado do sexo e das drogas; as ideologias que desejam tirar a sua identidade e a sua dignidade; etc.

São João Paulo II, em uma de suas homilias, contemplando Santa Maria Goretti, fez uma exortação à todos e em especial aos jovens: “Exorto-vos especialmente a vós, meninas: olhai para Maria Goretti. Não vos deixeis seduzir pela aliciante atmosfera criada pela sociedade permissiva, que afirma tudo ser lícito. Segui Maria Goretti. Amai, vivei e defendei com alegria e coragem a vossa pureza. Não temais transportar a vossa limpidez ao meio da sociedade moderna, como facho de luz e ideal”.

Que Santa Maria Goretti, luminosa na sua beleza espiritual e na sua já conseguida eterna felicidade, nos encoraje a termos uma fé firme e segura na “Palavra de Deus”, única fonte de verdade, e a sermos fortes contra as insinuantes e envolventes tentações do mundo, para que sejamos sal e luz no coração das pessoas e nas realidades em que nos encontramos.

Pe. Angelo Donizeti Crivelaro
Pároco da Paróquia Santa Maria Goretti

 

Celebração dos 60 anos de criação da paróquia Santa Maria Goretti

Dia: 7 de junho
Horário: 19h30
Local: Paróquia Santa Maria Goretti - Rua Júlio de Mesquita, 360 - Vila Virgínia - Ribeirão Preto/SP
Preside: Dom Emílio Pignoli (Bispo Emérito da Diocese de Campo Limpo) - Primeiro Vigário da Paróquia

 

 

Diário de Notícias - Junho 1958