Restos mortais de Dom Aparício são transladados para paróquia São Paulo

A paróquia São Paulo Apóstolo, no Jardim Paulista, em Ribeirão Preto, abriu em 25 de janeiro, o ano jubilar (1969-2019). Uma série de atividades religiosas e de resgate da história da comunidade paroquial estão programadas para serem realizadas no decorrer do ano jubilar. Uma destas atividades ocorreu no dia 4 de maio e emocionou os fiéis e familiares do monge beneditino Dom Aparício Alves dos Santos, falecido em 27 de maio de 1997, um dos fundadores dos trabalhos de evangelização na comunidade paroquial, e que estava enterrado em um túmulo no Cemitério da Saudade, em Ribeirão Preto. Em um trabalho rápido e reservado foi feita a exumação e os restos mortais de Dom Aparício foram transferidos para um jazigo localizado próximo ao altar, na paróquia São Paulo Apóstolo.

O pároco padre Elviro Pinheiro da Silva Júnior comentou a iniciativa deste projeto. “No ano de 2019, em 25 de janeiro, a paróquia completa 50 anos. Como Dom Aparício foi o fundador da paróquia, deram a ideia de trazer os restos mortais dele para repousar aqui na Igreja. Foi bem acolhido pela família, então demos entrada no projeto”, explicou padre Elviro.

A missa em memória de Dom Aparício foi celebrada no sábado, 5 de maio, com a presença de grande número de fiéis, e nos ritos finais, a leitura da mensagem do padre Eliseu Francisco dos Santos, da diocese de Pesqueira (PE), amigo de Dom Aparício, que assim se expressa em dos trechos: “Alguém só morre definitivamente, quando não é amado. Daí, fica num esquecimento absoluto. Dom Aparício, que foi um dom para seus familiares, para o mundo, para a Igreja, para os Olivetanos, para a Arquidiocese de Ribeirão Preto, para seus amigos e paroquianos, pelo contrário, vive, porque amado por todos! Ele repouse em paz até o dia em que nos encontraremos todos no Cristo”.

Dom Aparício - Dom Aparício Maria (Osvaldo) Alves dos Santos, nasceu em Ribeirão Preto, em 31 de julho de 1921. Em 1940 entrou como Postulante na Congregação de Santa Maria de Monte Oliveto (Ordem de São Bento), na época com sede na Igreja Santo Antônio de Pádua, nos Campos Elíseos, em Ribeirão Preto, e no mesmo ano seguiu para estudos na Itália. Em 1950 retornou ao Brasil e celebrou a primeira missa na Igreja Santo Antônio de Pádua, em Ribeirão Preto. Empenhou-se com o consentimento do arcebispo de Ribeirão Preto em trazer as Beneditinas Olivetanas da Fundação “Vita et Pax”. Em 1961 foi designado por Dom Luis do Amaral Mousinho para a Vila Paulista (atual Jardim Paulista), para iniciar as bases da futura paróquia. Com ênfase em trabalhos de evangelização e atuação social promoveu muitos trabalhos no campo da educação e cidadania. Com o tempo a comunidade foi se estruturando até ser erigida a paróquia São Paulo Apóstolo, em 25 de janeiro de 1969.

Fonte: Matéria Jornal da Clube e Paróquia São Paulo Apóstolo

Acesse ao Vídeo da Matéria