Catedral apresenta primeira fase do projeto de restauro

O Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat), órgão subordinado à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, autorizou conforme publicação no Diário Oficial, em 9 de junho, a primeira das três etapas previstas para o restauro da Catedral Metropolitana de São Sebastião.

A apresentação do projeto da primeira fase do restauro, que prevê o reforço estrutural do prédio, ocorreu na tarde de segunda-feira, 25 de junho, em coletiva de imprensa com a presença do pároco da Catedral, padre Francisco Jaber Zanardo Moussa (Padre Chico); do engenheiro Danilo José Pereira; da professora e historiadora Dr. Nainôra Maria Barbosa de Freitas; e do assessor da Pastoral da Comunicação, padre Gilberto Kasper.

A primeira etapa da obra tem o custo estimado em R$ 3 milhões. A previsão é obter o valor de R$ 1 milhão junto ao Programa de Ação Cultural (ProAC), do governo paulista que concede isenção fiscal de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para empresas que investem em projetos culturais. A viabilização de R$ 2 milhões seria proveniente da ajuda da comunidade por intermédio da campanha “Mãos que fazem história” que consiste em doações, rifas, quermesses e sorteios dos veículos ‘fuscas’, entre outras ações. “A obra de restauro, de reforço estrutural da Catedral, foi orçada aproximadamente em 3 milhões. Um milhão nós esperamos de subvenção do governo do Estado através da Secretaria de Cultura, a contrapartida, esperamos da comunidade, por isso, estamos fazendo as campanhas de arrecadação, a rifa do carro, as quermesses, os almoços em prol da restauração”, explicou padre Chico.

Campanhas

De acordo com padre Chico, as campanhas tem sido intensificadas e para isso conta-se com o apoio da comunidade e das empresas da cidade. “No próximo dia 14 de julho realizaremos o sorteio do fusca, ano 1994, e após o sorteio, faremos o lançamento de um novo fusca, ano 1969, com o sorteio no mês de janeiro de 2019, na festa do padroeiro São Sebastião. Seria muito importante que as empresas fizessem a adesão a este projeto. Nós já temos aproximadamente 30 empresas que ofereceram uma carta de intenção e estão apoiando a captação de recursos pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, mas aquelas empresas que quiserem fazer a sua doação via ICMS, ou uma doação espontânea poderão entrar em contato com a Catedral oferecendo esse apoio de preservação da nossa cultura e do nosso patrimônio”, comentou o pároco.
 


 

Celebrações na Catedral

Segundo o pároco as obras não irão trazer transtornos para os fiéis, pois tudo está sendo organizado para não causar interferências na rotina das atividades pastorais e celebrativas da Catedral. “Nós tomamos cuidado na elaboração do projeto para que a realização das obras não interferissem no dia a dia da nossa Catedral, seja nas celebrações das missas, seja também nos casamentos. Então toda a intervenção do reforço estrutural acontecerá do lado de fora da Igreja, sem nenhum mal-estar dentro do templo”, explicou o padre Chico.

Reforço Estrutural

O engenheiro Danilo José Pereira explicou como será o processo de reforço estrutural do prédio. “É muito importante a realização desta primeira etapa das obras de reforço estrutural que consistirá em reforçar estruturalmente as fundações que, primeiramente será feito na parte dos fundos da Catedral, onde fica o anexo, que é a parte mais comprometida do prédio, e depois as laterais com estacamentos laterais, e da torre principal. Ao todo são 40 estacas na parte detrás da Catedral, 38 no meio e 32 na área da torre. Além disso, ainda vamos fazer uma amarração com fibra de carbono em todas as fissuras estruturais na edificação, inclusive nas cúpulas”, esclareceu Danilo.

Etapas do Restauro

De acordo com o engenheiro Danilo, após esta primeira fase do projeto, ainda serão contempladas outras etapas do restauro. “Os projetos de modernização da igreja já foram feitos: a parte hidráulica, elétrica, inclui também a climatização, paisagismo, acessibilidade, ou seja, todas estas etapas fazem parte da segunda etapa do projeto, e a terceira etapa, será a parte das pinturas, tanto da restauração dos afrescos e a pintura externa do edifício”, comentou Danilo.

Preservar a história

A professora e historiadora Nainôra Maria Barbosa de Freitas destacou a importância da preservação história e arquitetônica da Catedral e motivou a comunidade a colaborar com o cuidado do prédio histórico. “A história da Catedral é a história da comunidade de Ribeirão Preto. Há uma identidade por detrás desta construção, deste templo, que liga o centro da cidade como forma de identidade. Então quando as pessoas contribuem para este restauro elas mostram também que elas são parte constitutiva desta história, desta memória quer nós estamos planejando deixar para o futuro, para as gerações seguintes. Um patrimônio nós não preservamos apenas para olhar para o passado, ao contrário, a preservação de um patrimônio é feita para as gerações seguintes. Que história nós queremos contar para as próximas gerações? E esta Catedral é parte integrante da história de Ribeirão Preto ela precisa ser preservada!”, defendeu Nainôra.  

Colaborar

O assessor eclesiástico da Pastoral da Comunicação, padre Gilberto Kasper, frisou a relevância de todos colaborarem para a preservação da Catedral. “Às vezes há um equívoco de que a Arquidiocese de Ribeirão Preto seja uma arquidiocese economicamente privilegiada e rica, isto é um equívoco, nós temos as nossas demandas, as nossas despesas como todas as famílias. Então é muito importante que todos participem pela pequena contribuição que tiver, a parceria das empresas é muito importante, porque a Catedral não é do arcebispo, não é da arquidiocese, a Catedral é toda a comunidade ribeirão-pretana. É importante que todos colaborem e que todos se sintam comprometidos e deem as mãos neste restauro”, destacou padre Gilberto.

Pesquisa

A Catedral lançou uma pesquisa para conhecer a opinião dos ribeirão-pretanos a respeito de quem deve colaborar no restauro da Catedral Metropolitana de São Sebastião. O questionário pode ser acessado e respondido e o levantamento contribuirá para a execução de novas ações junto à comunidade. Acesse aqui a pesquisa.