Igreja na Amazônia finaliza encontro em Manaus

“Com as bênçãos de Nossa Senhora de Nazaré, voltemos para as nossas dioceses e sigamos nossos trabalhos”. Com essas palavras, o Cardeal Cláudio Hummes finalizou o III Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal. Estiveram reunidos no Centro de Treinamento da Maromba, em Manaus, entre os dias 20 e 23 de agosto, os 58 bispos das dioceses e prelazias da região.

Organizado pela Comissão Especial para Amazônia/CEA da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil/CNBB e pela Rede Eclesial Pan-Amazônica/REPAM, os participantes puderam partilhar experiências, criar metas em conjunto e aprofundar questões relacionadas ao Sínodo para a Amazônia.

Para a religiosa, Ir. Maria Irene Lopes, assessora da CEA e secretária executiva da REPAM, o encontro foi um tempo de graça em que os bispos tiveram a oportunidade de se enriquecerem na caminhada Sinodal. “E isso faz com o que Sínodo possa chegar com mais força nos territórios após esse encontro aqui em Manaus”, completou Ir. Irene.

Dom Pedro Brito Guimarães, arcebispo de Palmas, avalia que o encontro foi uma grande oportunidade de para tomar consciência da região, com as belezas e desafios que ela apresenta, e perceber que, de fato, tudo está interligado. “Essa foi uma grande descoberta que fiz nesses dias, aqui reunidos”, afirmou Dom Pedro.

Para o arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira, o III Encontro da Igreja Católica na Amazônia foi uma excelente oportunidade de partilha e de enxergar melhor todo o caminho para o Sínodo e, também, de conhecimento das atividades da REPAM. “Penso que foi para todos nós os participantes uma oportunidade privilegiada, pois vamos aprendendo a trabalhar juntos cada vez mais”, destacou o bispo.

O Cardeal Cláudio Hummes agradeceu a todos os participantes do III Encontro, as equipes de trabalho, a presença dos colaboradores e parceiros da Igreja na Amazônia que estiveram no encontro. Agradeceu, ainda, a participação da jornalista do Vatican News e Secretaria do Sínodo, em Roma, Cristiane Murray em toda a atividade. “Laudato sejas! Creio que foi um encontro bom e que atingiu os seus objetivos. O clima de oração, fraternidade e abertura, com todas as diferenças que temos, fez desse encontro um tempo de graça. Que a comunhão cresça entre nós, e o papa espera muito isso de nós em toda a Pan-Amazônia”, concluiu o Cardeal.

Os bispos deliberam pela realização de um próximo encontro, mas a data será definida na próxima Assembleia Geral da CNBB, em abril de 2019, quando todos estarão juntos novamente. Eles também redigiram uma carta para o papa Francisco, assinada pelo Cardeal, em nome de todos os bispos da Amazônia Legal.

Carta do III Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal

Os bispos participantes redigiram uma carta para toda a comunidade recolhendo os frutos do encontro. Assinada pelo Cardeal Cláudio Hummes, eles afirmam, no texto, que “ao longo desses dias, rezando, estudando, ouvindo especialistas com suas análises, o que ampliou nossa visão do conhecimento de toda complexa realidade amazônica, expusemos também nossas preocupações com todas essas situações e experiências dolorosas da vida de nossos povos, como o que está acontecendo com os migrantes venezuelanos em Roraima, no município de Pacaraima, e o que estamos realizando em nossas Igrejas particulares por meio de nossas ações evangelizadoras e pastorais”.

Ainda na carta, eles destacam que “Igreja Católica na Amazônia está solidária com seus povos e dando passos decisivos para a concretização do Sínodo, por meio do levantamento e mapeamento de nossas realidades eclesiais e ambientais, da realização das Assembleias Territoriais, das Rodas de Conversas, das Assembleias Diocesanas e Regionais”.

O episcopado presente no III Encontro afirma reconhecer a diversidade da Igreja na Amazônia Legal e o desejo de manterem a comunhão nos diferentes temas que atravessam toda a região. “Seguimos os rumos traçados pelo processo sinodal na firme esperança de que o Espírito que conduz a Igreja nos animará e sustentará em nossa caminhada nesta Amazônia, pois sentimos a necessidade de estabelecer uma unidade em torno dos mais diversos desafios que a Amazônia apresenta, fortalecerá o imenso esforço, às vezes desconexo da evangelização, dos movimentos e das práticas pastorais para tornar eficaz essa rede de solidariedade e comunhão”, afirma o texto.
 

Bispos da Amazônia se pronunciam contra a intolerância aos venezuelanos

Os bispos presentes do III Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal, reunidos no Centro de Treinamento da Maromba, em Manaus, manifestaram indignação com a intolerância manifestada contra as mulheres, homens e crianças, refugiados venezuelanos.

Em nota pública, divulgada nessa quinta-feira (23), os  58 bispos e 27 demais representantes de Prelazias e Dioceses da região, eles reconhecem “que a situação é crítica, principalmente pela ausência de uma ação integrada e eficaz das esferas municipais, estadual e federal do Estado Brasileiro, que assegure a acolhida humanitária aos refugiados”, afirmam no texto.

Assinada pelo presidente da Comissão Especial para a Amazônia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil/CNBB e da Rede Eclesial Pan-Amazônica/REPAM, Cardeal Cláudio Hummes, a nota recorda que “os refugiados pertencem a povos da Amazônia e merecem respeito à sua dignidade e aos Direitos Humanos”

Saiba mais: http://repam.org.br/


Nota Pública

Carta do III Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal