Paróquia Santo Estevão Diácono acolheu ordenação diaconal

Acesse a Galeria de Fotos

Foi há trinta anos atrás, que na Arquidiocese de Ribeirão Preto, ocorreu a ordenação de um único diácono permanente em uma única celebração. Isso ocorreu em 25 de março de 1988, quando foi ordenado o diácono Caetano Marchese, por Dom José Varani, bispo da diocese de Jaboticabal, em razão de Dom Romeu Alberti estar em tratamento de saúde. No período de 1988 a 2018, ocorreram ordenações diaconais (Diaconado Permanente), porém reunindo um número maior de ordinandos em uma única celebração: em 24 de maio de 2014: 23 diáconos; e em 2016: 12 diáconos; provenientes da primeira e segunda turma da Escola Diaconal São Lourenço, e ambas as celebrações com o rito de ordenação presidido pelo arcebispo Dom Moacir Silva.

Em 2018, este fato se repetiu, trinta anos e quatro meses depois, em 25 de agosto, na paróquia Santo Estevão Diácono, no Alto do Ipiranga, em Ribeirão Preto. Com o lema diaconal: “Aquele que quiser ser o primeiro dentre vós, seja o servo de todos” (Mc 10, 44) – “Em tudo Amar e Servir”, foi ordenado Diácono Permanente pela imposição das mãos e prece consecratória do arcebispo Dom Moacir Silva, o acólito e leitor: Rodrigo Carlos de Assis, que concluiu seus estudos na Escola Diaconal Arquidiocesana São Lourenço, no período de 2011 a 2016. A concelebração eucarística com o rito de ordenação contou com a presença de padres, diáconos, religiosos e religiosas, seminaristas, candidatos ao diaconato permanente da Terceira Turma da Escola Diaconal, e grande número de fiéis.

Homilia

Na homilia, o arcebispo dom Moacir, refletiu sobre a identidade diaconal que se expressa no serviço, na caridade, no anúncio da Palavra e no testemunho de vida. “Queridos irmãos e queridas irmãs, estamos para ordenar Diácono este nosso filho, que vocês contam entre vossos amigos ou parentes. Caro filho Rodrigo, daqui a pouco você será, pela Sagrada Ordenação, configurado a Cristo que conhece as suas ovelhas, que dá a vida pelas suas ovelhas. Como Diácono Permanente da Igreja de Nosso Senhor, você deverá reproduzir os gestos de Jesus, o Servidor do Pai e dos irmãos, no comportamento do dia a dia. Lembra-te sempre do que ouvimos na segunda leitura: ‘os que exercem bem o diaconado, recebem uma posição de estima e muita liberdade para falar da é em Cristo Jesus’ (1Tm 3,13). O diaconado permanente foi uma realidade marcante no início da Igreja. Agora, em nossos dias, a Igreja Católica está vivendo uma nova era diaconal”, salientou Dom Moacir.

O arcebispo ainda explicitou a missão dos ministros ordenados. “Nós, os ministros ordenados, bispos, presbíteros e diáconos, somos chamados a promover a comunhão. Somos um grupo a serviço do povo de Deus. Nossa missão é de levar o povo de Deus à Comunhão e à Santidade de vida. Somos servidores da Comunhão. Somos servidores do povo de Deus, para que ele possa cumprir sua missão, de ser em nome de Cristo sal, luz e fermento da humanidade. A missão dos diáconos está ligada ao Cristo-Servo. ‘O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida em resgate por muitos’. Esta é a identidade da missão diaconal. O Diácono coloca em evidência e potencializa para todo o povo de Deus à dimensão do serviço. Para viver esta identidade da missão diaconal, ser sinal do Cristo Servidor, o diácono tem necessidade de desenvolver sempre mais uma vida de profunda amizade com Jesus Cristo”, refletiu Dom Moacir.

“O diácono é o servidor dos servidores. Ele deve ensinar os outros a servir como Jesus servia. O diácono permanente é a imagem, o ícone de Cristo diácono; é a imitação do Cristo: ‘Sereis felizes se fizerdes assim’. Contemplando o diácono devemos compreender a alegria do serviço. Para viver assim o diácono deve procurar o alimento na Palavra de Deus e na proximidade da Eucaristia”, enfatizou Dom Moacir.

Antes dos ritos finais, o neodiácono Rodrigo, juntamente com sua esposa e filha, adentraram pelo corredor central trazendo o relicário com as relíquias de São Luís Martin e Santa Zélia Guérin, pais de Santa Teresinha, em peregrinação na paróquia Santo Estevão. Na continuidade o neodiácono pronunciou os agradecimentos direcionado a Deus, ao arcebispo; os padres e diáconos; direção, formadores e alunos da Escola Diaconal São Lourenço; paroquianos e pároco da paróquia Santo Estevão Diácono.
 

Leia na íntegra o texto dos Agradecimentos:

“Reverendíssimo Dom Moacir Silva, Padres, Diáconos e todos aqui presentes, ‘Aquele que quiser ser o primeiro dentre vós, seja o servo de todos” (Mc 10.44). Escolhi este tema para evidenciar a grande missão confiada a cada um de nós ministros ordenados à serviço do Reino de Deus.

O Diácono é um sinal visível de que a Igreja levou a sério o mandato do lava-pés e o capítulo 13 da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios que nos fala da caridade. O diácono com sua vida e seu carisma, deve colocar, em primeiro lugar, o amor.A caminhada até aqui, não foi fácil. Muitos momentos de dúvidas, medos, insegurança, mas a vontade e o chamado de Deus para esta vocação específica falavam mais forte em meu coração. 

Este é um momento de muita alegria e emoção e quero aqui expressar minha gratidão ao Padre Edgard e a toda à paróquia Santo Estevão que acolheu a mim e a minha família. Gratidão a todos os padres formadores especialmente o padre André Massaro e Padre Elviro (diretores da Escola Diaconal), durante o período de estudos.

Aos padres e diáconos amigos principalmente os que mais de perto me acompanharam, incentivando e apoiando.

Agradeço a minha mãe, meu irmão, todos os meus familiares e amigos os daqui e os de fora que não mediram esforços para estarem presentes neste momento.

Dom Moacir, espero corresponder com muito zelo esta nova missão anunciando a Palavra de Deus.

Todos os Paroquianos e agentes das mais diversas pastorais e movimentos muito obrigado pela organização de cada detalhe.

Minha esposa e minha filha, sem vocês por perto com certeza não teria conseguido chegar até aqui, amo vocês...

Por fim agradeço a Deus e a intercessão de Maria, que nos momentos de dúvidas, por meio da oração me sentia mais forte.

Muito Obrigado a todos!

Deus abençoe cada um de vocês!”

Diácono Rodrigo Carlos de Assis


Antes da bênção final, o arcebispo Dom Moacir informou que o neodiácono está provisionado para exercer o ministério diaconal na paróquia Santo Estevão Diácono. Terminada a concelebração eucarística ocorreu a confraternização fraterna no salão paroquial.