Procissão fluvial e missa marcam o fim dos festejos em Careiro da Várzea

Procissão fluvial e missa marcam o fim dos festejos da padroeira da paróquia de N.S. do P. Socorro em Careiro da Várzea

Após um mês intenso, com uma programação repleta de atividades sociais e religiosas em homenagem à padroeira, a paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (NSPS), localizada no município de Careiro da Várzea, organizou na noite deste sábado (1/9) uma verdadeira festa, com procissão fluvial seguida da missa solene presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sergio Castriani, concelebrada pelo pároco, Pe. Aparecido Donizetti Maciel (mais conhecido como Pe. Maciel); pelo vigário paroquial, Pe. Thiago Barbosa e pelo padre visitante em missão, Pe. Manoel Aparecido do Espírito Santo, da diocese de Ribeirão Preto (SP).

A programação da Festa da Padroeira começou as 16h horas, com os barcos saindo do porto de Careiro da Várzea, rumo à Comunidade São Sebastião (Miracauera), ao chegar do local, Dom Sergio foi o primeiro a descer do barco para ir rumo à imagem da Santa que aguardava dentro da igrejinha. Ao verem a atitude de arcebispo, muitos outros fiéis venceram o medo e fizeram o mesmo, caminhando em cima de estreitas e improvisadas “pontes” de madeira que faziam a ligação entre a embarcação e a margem. Em poucos minutos a pequena igreja da comunidade já estava lotada. Após uma breve oração conduzida pelo pároco, Pe. Maciel e a benção de Dom Sergio, todos se dirigiram de volta ao barco e de lá retornaram à paróquia NSPS em uma procissão fluvial contando com a participação de várias embarcações de todos os tamanhos.

A celebração começou um pouco depois das 17h, já com todos em terra aos poucos foram ocupando os lugares da paróquia com representantes de várias comunidades pertencentes à NSPS. Foi uma missa com quase três horas de duração, apresentando vários “momentos especiais”, repletos de homenagens à padroeira e reconhecimento às pastorais, movimentos, serviços, assim também como aos 15 coordenadores de área que atuam nas 82 comunidades ribeirinhas que compõem à paróquia. “No dia da nossa padroeira, é o dia que cada paroquiano renova o seu compromisso de leigo atuante na comunidade, por isso nessa ação de graças, nós pedimos o socorro à Nossa Senhora, para que vocês possam ser fortalecidos, animados e saibam administrar bem suas coisas boas e suas dificuldades”, disse o pároco.

Em sua homilia, Dom Sergio comentou que a igreja somos nós e que viver longe do Senhor é viver no deserto e finalizou salientando a importância de Maria, que desde antes da concepção, já tinha consciência de sua missão. “Na ausência de Jesus eu nossos corações, temos pavor e ficamos paralisados, como o povo que clamava no deserto. Mas devemos ter consciência que Jesus é o Salvador de um pouco escolhido, que foi educado desde criança por Maria, a nossa Mãe, a bem-aventurada e que sabia que Deus tinha lhe concedido uma missão e, a primeira vez que Jesus é chamado de Senhor é quando Maria visita sua prima Isabel. Para nós é uma honra ter N.S.do Perpétuo Socorro como padroeira, vamos pedir as bênçãos para todas as nossas comunidades e devotos”, comentou o arcebispo.

A benção final foi realizada na parte fora, quando todos os presentes se dirigiram à área externa para assistir a troca do manto de Nossa Senhora, realizado em ação conjunto entre a equipe de música e dança, que fizeram uma emocionante encenação. Ao fim da celebração, todos puderam prestigiar o arraial bem na frente da igreja, com comidas típicas e apresentação de bandas ao vivo. Para padre Maciel, que há pouco meses tomou posse como pároco, foi uma experiência sem igual, resultado de um trabalho de três meses de planejamento, organização e comprometimento da paróquia, e destaca que o grande diferencial foi a presença do padre junto aos paroquianos em todos os momentos, todas as reuniões, acompanhando todas as reuniões e participando de todas as decisões.

“Quando eu cheguei aqui eu fui muito bem acolhido e percebi que já havia um trabalho de evangelização bastante adiantado, no sentido de leigos e leigas envolvidos com a vida da paróquia, isso é um fator muito grande e que me fez respeitar as coisas do modo que já estavam sendo feito antes, eu era apenas consultado e participar de perto de todos os momentos. O meu trabalho foi apenas de dar continuidade ao que os meus antecessores tinham começado nesse laço de união. Não há dúvidas que a comunidade tem um grande potencial de fé e de amor, e que a gente ainda pode caminhar muito mesmo, pois tenho aprendido muito mais do que ensinado”, comentou Pe. Maciel.

 

Fonte: https://arquidiocesedemanaus.org.br/2018/09/02/procissao-fluvial-e-missa-marcam-o-fim-dos-festejos-da-padroeira-da-paroquia-de-n-s-do-p-socorro-em-careiro-da-varzea/