Arquidiocese realiza a Semana Social 2018

Acesse a Galeria de Fotos

Após 10 anos, a Arquidiocese de Ribeirão Preto, resgatou e retomou as edições da Semana Social Arquidiocesana realizada nos dias 4, 5 e 6 de setembro de 2018, no Salão Dom Alberto, em Ribeirão Preto. O resgate da Semana Social, agora, no governo de Dom Moacir Silva, é momento oportuno para abordar temas sociais que atingem a vida da população e promover a conscientização e a participação. Afinal, buscar estratégias e lutar para que todos tenham vida, e vida em abundância é missão de todo cristão. A Semana Social Brasileira nasceu na Arquidiocese de Ribeirão Preto durante o bispado de Dom Arnaldo Ribeiro (1989-2006). A realização destes eventos sempre foi forte momento de reflexão e de ação em prol da Justiça Social, com objetivo especial de conscientizar segmentos importantes da comunidade local, trazendo para a pauta o resgate das dívidas sociais. Foram realizadas nos seguintes anos: 1994, 1997, 1999, 2000, 2005 e 2009. A edição 2018 da Semana Social contou com a comissão organizadora formada por integrantes das Pastorais Sociais da Arquidiocese de Ribeirão Preto.

Resgate histórico e homenagens na primeira noite

A abertura da Semana Social, 4 de setembro, reuniu ao menos 200 participantes, e foi ocasião para fazer memória e homenagear padres, diáconos, leigos e leigas que dedicaram suas vidas a ação evangelizadora e social na Arquidiocese de Ribeirão Preto. Um grupo de jovens da paróquia São Mateus Apóstolo, encenou a memória cênica e trouxe na representação o testemunho de pessoas que contribuíram para o trabalho das Pastorais Sociais na arquidiocese. Os homenageados receberam o carinho e o reconhecimento da Arquidiocese pelos trabalhos realizados que foram simbolizados na entrega de uma placa homenageativa.

As atividades do primeiro dia da Semana Social tiveram como ponto central o resgate histórico do trabalho social na Igreja Particular de Ribeirão Preto a partir da exibição de três vídeos de curta metragem: 1) A História Social da Igreja de Ribeirão Preto; 2) As Pastorais e Movimentos Sociais na Arquidiocese de Ribeirão Preto e 3) A História das Semanas Sociais na Arquidiocese de Ribeirão Preto.

Na abertura, depois da composição da mesa, os participantes entoaram o Hino Nacional Brasileiro, e na continuidade, o arcebispo Dom Moacir Silva, acolheu os participantes e deu as boas-vindas, e na sequência destacou a importância dos trabalhos sociais da Igreja a partir do ensinamento da Doutrina Social da Igreja (DSI).

Doutrina Social da Igreja e a violência invisível

O segundo dia de reflexões da Semana Social Palestra, 5 de setembro, começou com a oração presidida pelo arcebispo Dom Moacir. Na sequência a Comunidade Missionária Divina Misericórdia apresentou uma esquete teatral curta abordando o tema da violência doméstica, as diversas expressões da violência e suas consequências sociais. Na continuidade ocorreu a palestra: “A Doutrina Social da Igreja e a Campanha da Fraternidade 2018: com enfoque na violência invisível” com o professor Ms. Gláucio Alberto Faria de Souza, bacharel em teologia e mestre em teologia sistemática, professor da Faculdade de Filosofia e Teologia Paulo VI, em Mogi das Cruzes.

O assessor professor Gláucio abordou o tema a partir de três pontos: 1) Questões preliminares – a dimensão existencial da fé; 2) A violência invisível; e 3) Propostas para a superação da violência. De acordo com Gláucio a superação da violência exige mudança de postura e de mentalidade na Igreja e na sociedade. “A Doutrina Social da Igreja e a Campanha da Fraternidade quer nos despertar diante dessa violência que estamos vivendo contradiz, se opõe, é um ataque contra tudo aquilo que acreditamos sobre a pessoa humana. É uma cultura de morte. A doutrina quer destacar que nós temos a obrigação de homens e mulheres que cremos em Cristo em construirmos e colaborarmos que pudermos para que esta sociedade seja uma sociedade nova e tenha uma mentalidade nova, mas lembrem-se que a Campanha da Fraternidade acontece dentro da Quaresma e esta novidade só vai acontecer quando o nosso coração se tornar novo. Que a Virgem Maria nos ajude para que o nosso coração seja cada vez mais parecido com o coração de seu Filho”, salientou o assessor.

De acordo com o assessor Gláucio a erradicação da violência está na vivência da justiça. “O caminho para superar a violência de acordo com a Doutrina Social da Igreja e segundo a Campanha da Fraternidade é o caminho da justiça, mas a justiça sempre vai ser fruto do amor, não o nosso amor, mas o amor de Cristo, fruto da comunhão, da compaixão, da misericórdia. O que é justiça na Bíblia? Justiça é misericórdia, miséria do coração, é hospitalidade, é fraternidade”, comentou o assessor.

Mesa redonda: “A Violência Invisível”

O terceiro e último dia da Semana Social, 6 de setembro, reuniu profissionais da área jurídica, acadêmica e de movimentos sociais para discutir o tema: “A violência invisível”. Formaram a mesa: Laura Aguiar de Lima, psicóloga, coordenadora do Núcleo de Atendimento Especializado à Mulher (NAEM) e Conselheira Titular do Conselho dos Direitos da Mulher; Regina Helena Brito de Souza, graduada em Serviço Social e com participação em diversas instituições e movimentos em atenção às vítimas de violência; Drª. Telma Sanchez Vendrusculo, professora doutora e Ex-presidente do Conselho Municipal do Idoso; e Dr. Alexandre Marcos Pereira, 14º Promotor de Justiça de Ribeirão Preto, com atribuição nas áreas da Infância e Juventude e do Meio Ambiente. A mediação do debate foi feita pelo jornalista e integrante da Pastoral da Comunicação, José Geraldo Marcão (Gera). As temáticas abordadas no debate discutiram as questões da origem da violência contra a mulher, os idosos e as crianças, e possíveis soluções no âmbito jurídico, social e ações preventivas e de atenção às vítimas da violência.


Pastoral da Comunicação
Arquidiocese de Ribeirão Preto