Entrevista com o Padre Neuber Teixeira

De agosto de 2016 até junho de 2018, o padre Neuber Johnny Teixeira, morou no Colégio Pio Brasileiro, em Roma (Itália), local onde fez os estudos do mestrado em Teologia na área de Teologia Fundamental na Universidade Gregoriana. Ao retornar ao Brasil, foi nomeado pároco da paróquia São Pedro Apóstolo, em Jurucê, Jardinópolis. A posse ocorreu em celebração eucarística com rito de posse canônica, em 18 de agosto, presidida pelo arcebispo Dom Moacir Silva. Ele também colabora com a formação vocacional no Seminário Maria Imaculada, em Brodowski, e leciona no Centro de Estudos da Arquidiocese de Ribeirão Preto (CEARP).

Padre Neuber Johnny Teixeira, 38 anos, é natural de Ituiutaba (MG). Cursou a Filosofia no Instituto João Paulo II, em Uberlândia (MG). No ano de 2004 entrou para o Seminário Propedêutico Bom Pastor, em Jardinópolis, e em 2005, ingressou no Seminário Maria Imaculada, onde cursou de 2005 a 2008 a teologia no Centro de Estudos da Arquidiocese de Ribeirão Preto (Cearp). Foi ordenado presbítero em 24 de julho de 2009, no Poliesportivo do Colégio Marista, em Ribeirão Preto. Desde a ordenação exerceu o ministério presbiteral em Batatais no seguinte período: entre agosto e dezembro de 2009, na função de vigário paroquial nas paróquias: Bom Jesus da Cana Verde, São Sebastião e Nossa Senhora de Fátima e Santa Luzia. De janeiro de 2010 até agosto de 2016 exerceu o paroquiato como pároco da paróquia São Sebastião, em Batatais.

Em entrevista, o padre Neuber comenta sobre o trabalho pastoral e nos fala um pouco da experiência dos estudos em Roma.

Igreja-Hoje - Qual a expectativa ao assumir essa nova missão na paróquia São Pedro em Jurucê e no Seminário Maria Imaculada em Brodowski?

Padre Neuber -
Com esperança e alegria, no dia 18 de agosto deste ano, na solenidade da Assunção de Nossa Senhora, assumi a Paróquia de São Pedro, em Jurucê. Aos poucos, vou me colocando a par da realidade da Comunidade (pastoral, religiosa/devocional, missionária e financeira); venho para colaborar nesta pequena porção do Povo de Deus que me foi confiada e sei que a Comunidade possui grandes riquezas e desafios, porém, confio naquele que me chamou, Nosso Senhor Jesus Cristo, que nunca abandona seus servos.

Concomitantemente, estou colaborando na formação dos seminaristas, no Seminário Arquidiocesano Maria Imaculada, em Brodowski. Lá, acompanho e oriento a dimensão acadêmica dos seminaristas que estão cursando Filosofia ou Teologia. Que Deus me abençoe e fortifique no ministério para que possa desempenhar, com amor e dignidade, os trabalhos que me foram confiados, e que a Virgem Maria, São José, seu esposo, e São Pedro intercedam por nós em nossa missão de ser presença viva e concreta do Cristo ressuscitado onde quer que estejamos.  

IH - Como o senhor avalia o período de estudos em Roma? Qual o tema abordado nos estudos do mestrado?

Padre Neuber - Em agosto de 2016, parti para a cidade de Roma (Itália) para morar no Pontifício Colégio Pio Brasileiro e fazer o mestrado em Teologia Fundamental, na Pontifícia Universidade Gregoriana. Foi um período rico de grandes alegrias, possibilidades acadêmicas, culturais e espirituais, também perpassado por grandes desafios, pois estava longe da família, da minha Igreja Particular e dos amigos. Durante dois anos, cursei, na Universidade Gregoriana, dezoito disciplinas e três seminários de estudos tutorados por professores da minha área de pesquisa. Para conclusão do mestrado, escrevi minha dissertação, tendo como tema: “A encarnação do Verbo: revelação da bondade do corpo”, sob orientação da Prof. Dra. Maria Carmen Aparicio Valls, leiga consagrada de origem espanhola, professora titular do Mestrado em Teologia Fundamental.

O trabalho teve por objetivo fazer uma análise bibliográfica sobre a realidade do corpo como lugar da bondade original, pois Deus, ao criar o homem, o faz segundo um desígnio que o marca na bondade, e, de certo modo, como lugar de experiência. Levamos em consideração o livro do Gênesis (Gn 1, 26-27) e o prólogo do evangelho de João (Jo 1, 14), para a fundamentação de tal análise, sobremaneira nas reflexões sobre o corpo e sua relação com o mistério da Encarnação; partimos de Irineu de Lyon (130-202), Tertuliano (155-230) e Orígenes (185-253), bem como das contribuições de Santo Tomás de Aquino (1225-1274). Para as considerações de cunho contemporâneo, abordamos as reflexões de Karl Rahner (1904-1984), Michel Henry (1922-2002) e Xavier Lacroix. 

Conclui  o mestrado com o exame “De Universa”, no qual se fez necessário o preparo de dezesseis teses específicas da Teologia Fundamental; fui sabatinado por dois professores do meu departamento de pesquisa.

Rendo graças a Deus pela oportunidade dos estudos em Roma; da mesma forma, sou grato a nosso arcebispo, Dom Moacir Silva, que me confiou tal missão, na pessoa do padre Pedro Luís Schiavinato, agradeço ao Projeto “Meus Pés no Mundo Bíblico” que, juntamente com a Adveniat e a Arquidiocese de Ribeirão Preto, custearam meus estudos e sustento em Roma. Por fim, agradeço a todos os familiares e amigos que, mesmo de longe, se fizeram perto pelas orações – que o Deus Uno e Trino os abençoe e proteja hoje e sempre.