Rearticulação da Pastoral Afro-Brasileira na Arquidiocese

“Louvem a Deus com a dança e tambor, Louvem a ele com cordas e flauta! Louvem a Deus com címbalo sonoros, Louvem a ele com címbalos vibrantes!” (Sl 150, 4-5)

Em 1988 a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promoveu a Campanha da Fraternidade sobre o negro com o tema: “Fraternidade e o Negro” e o lema: “Ouvi o clamor deste povo” (Ex 3, 7), no contexto das reflexões e da memória do centenário da Abolição da Escravatura no Brasil (1888-1988), assinatura da Lei Áurea pela princesa Izabel, em 13 de maio de 1888. Muitas outras iniciativas já vinham sendo realizadas por grupos, movimentos e irmandades, antes mesmo da CF-1988, mas a partir daí as dioceses no Brasil incentivaram e a apoiaram a articulação dos agentes da Pastoral Afro-Brasileira.
Caminhada - Na arquidiocese de Ribeirão Preto, já no início do pastoreio de Dom Arnaldo Ribeiro (1989-2006), tiveram início as reflexões e celebrações com elementos da cultura afro. Os padres Nilton Elias Barros (in memoriam), João Rípoli, Estevão Remy Bruyland, Francisco Vannerom, foram os primeiros a acolher as celebrações em suas comunidades.

E assim formou-se, em 1995, o grupo de agentes de Pastoral Afro-Brasileira na arquidiocese com a organização de encontros arquidiocesanos e participação em encontros no Regional Sul1 e no Nacional. Em 1997, o padre Toninho (in memoriam) e os agentes da Pastoral da arquidiocese São Paulo coordenaram uma formação para os agentes da arquidiocese Ribeirão Preto no seminário Maria Imaculada, em Brodowski. O padre Flávio Rosa e outros padres representaram a arquidiocese nos encontros do Instituto Mariama (IMA): Associação de Bispos, Presbíteros, e Diáconos Negros do Brasil.

Celebração - No Jubileu do Ano 2000, dom Arnaldo Ribeiro, presidiu a celebração do Jubileu dos Negros na Catedral Metropolitana com a participação do clero e grande números dos fiéis.  Dom Joviano de Lima Júnior, SSS, (2006-2012), presidiu na paróquia Santa Rita de Cássia das Palmeiras, em 20 de novembro de 2006, a celebração do dia da Consciência Negra. O arcebispo Dom Moacir Silva, em 20 de novembro de 2015, presidiu na Catedral Metropolitana a Missa com elementos da cultura afro; e em outras paróquias e comunidades o povo continua se reunindo para celebrações no Dia da Consciência Negra.

Motivação - Em artigo publicado no site da CNBB, “Ouvi o clamor deste povo”, dom Roberto Francisco Ferrería Paz, bispo da diocese de Campos (RJ), diz: “Trinta anos se passaram e, na atual Campanha da Fraternidade, no texto base no nº 74, se afirma: A violência racial no Brasil é uma situação que faz supor uma forte correlação entre as três formas de violência: direta, estrutural e cultural. Os casos de violência direta parecem ser o resultado mais concreto e evidente de questões socioeconômicas históricas, além de deixarem entrever representações culturalmente produzidas e já naturalizadas a respeito da população negra, do índio, dos migrantes e, mais recentemente, também do imigrante. O que podemos salientar é que embora tenhamos avançado em políticas públicas afirmativas dos direitos dos irmãos (ãs) negros(as), e ampliado os espaços de participação e articulação eclesial e pastoral, a exclusão e a desigualdade são ainda uma dívida e uma brecha profunda que deixa essa população a mercê da intolerância e da injustiça. Que o Deus da misericórdia e da inclusão fraterna nos estimule a construir e edificar uma sociedade sem violência e sem discriminações odiosas. Vós sois todos irmãos!”

Motivados pelas Diretrizes da Ação Evangelizadora da Arquidiocese de Ribeirão Preto (2015-2019) e incentivados por dom Moacir Silva, arcebispo, e padre Luís Gustavo Tenan Benzi, coordenador de pastoral, retomamos as reuniões, atividades e articulação da Pastoral Afro-Brasileira na arquidiocese com a primeira reunião de estudos e planejamento no dia 06 de outubro, no Centro Arquidiocesano de Pastoral. Venha participar conosco das próximas reuniões e atividades programadas para o ano de 2019. Contato: diac.flaviolivotto@bol.com.br


Diácono Flávio Aparecido Livotto
Agente da Pastoral Afro-Brasileira