Entrevista: Aprimorar e intensificar o serviço da Pastoral Matrimonial

O tema central da Atualização Teológico- Pastoral do Clero, nos dias 30, 31 de maio e 1º de junho de 2017 foi: “A Família e a preparação para o sacramento do Matrimônio”, e a reflexão se deu à luz da Exortação Apostólica Pós-sinodal Amoris Laetitia,  dando ênfase às reflexões e desafios da Pastoral Matrimonial. Em 1º de agosto de 2017 o arcebispo Dom Moacir Silva publicou a “Carta Pastoral sobre a preparação para o Sacramento do Matrimônio na Arquidiocese de Ribeirão Preto”. Neste ano de 2018, a Pastoral Familiar promoveu o 3º Simpósio da Pastoral Familiar: Formação Pré-Matrimonial, nos dias 24 e 25 de fevereiro, no Colégio Marista. Ambos os encontros objetivaram refletir a preparação ao Sacramento do Matrimônio na Arquidiocese de Ribeirão Preto.

A Atualização Teológica- Pastoral do Clero (2017) e o 3º Simpósio da Pastoral Familiar: Formação Pré-Matrimonial (2018) foram assessorados por André Parreira, da diocese de São João Del Rey, Minas Gerais, que juntamente com sua esposa Karina Parreira, são membros da Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF) e do Instituto Nacional  da  Família  e  da  Pastoral Familiar (INAPAF), e autores do livro “Encontros  de   Preparação  para  o Matrimônio”, publicado pela Comissão Nacional  de Pastoral Familiar; como também da Equipe Arquidiocesana da Pastoral Familiar.

O conteúdo e método para a modalidade de catequese matrimonial adotado igualmente em toda a Arquidiocese será o livro do casal André e Karina Parreira: “Matrimônio: encontros de preparação”. Cada paróquia organizará os 11 (onze) encontros de preparação a partir de sua realidade e necessidade. Fica determinado que o espaço entre um encontro e outro seja de no mínimo uma semana. Os certificados de preparação matrimonial que não sejam resultado desta nova modalidade de preparação serão invalidados e desautorizados pela competente autoridade arquidiocesana.
 


Reproduzimos a entrevista de André Parreira concedida em 2017 a respeito da importância da Pastoral Familiar.
 

A  partir  da  sua experiência no serviço  e  assessoria da Pastoral Matrimonial: quais os principais desafios na implantação e no trabalho da Pastoral Familiar?

André Parreira - O maior desafio é resgatar o valor do Matrimônio como sacramento e, como tal, necessário de preparação e discernimento. A busca dos noivos por uma preparação muito breve ou mesmo a “fuga” deles de qualquer tipo de preparação aponta a dessacralização do matrimônio e redução a um fato meramente social.

IH - A Igreja dedica uma atenção especial a família e ao trabalho da Pastoral Familiar. Como podemos melhorar a preparação ao matrimônio?

André Parreira - Podemos melhorar com a disposição dos agentes de preparação junto com seus párocos na promoção de momentos de motivação para a vida familiar, de discernimento vocacional e de preparação mais duradoura e aprofundada.

IH - Que avanços a Exortação Pós-Sinodal “Amoris Laetitia” trouxe no âmbito da preparação ao matrimônio?

André Parreira - Pela “Amoris Laetitia” a Igreja é convidada a promover mais intensos programas de preparação, um chamado forte mas não novo, pois vem sendo feito há anos pela Igreja. Na exortação fica clara a necessidade de maior atenção para com os noivos, bem como o envolvimento deles com casais e famílias que os apoiem na caminhada para o casamento e nos primeiros anos de casados.

IH - Qual motivação e inspiração levou você e Karina, sua esposa, a escreverem o livro: “Matrimônio: encontros de preparação”?

André Parreira -  Acompanhamos noivos há muitos anos e sentíamos necessidade de um material que permitisse que outros agentes fizessem o mesmo. Algumas propostas de reflexão viraram uma apostila e que foi se transformando em livro, sendo acolhido pela editora Paulinas e depois pela Comissão Nacional da Pastoral Familiar como subsídio.

IH - Em síntese, qual seria o trabalho da  Pastoral Familiar  e  da Pastoral Matrimonial?

André Parreira - A Pastoral Familiar desenvolve um amplo trabalho. É ação que se realiza na Igreja e com a Igreja, de forma organizada e planejada através de agentes específicos, com Possui metodologia própria, tendo como objetivo a evangelização da família focando a preparação para o Matrimônio (do ventre materno ao dia do casamento), a vida de casados e família e os casos especiais como a viuvez e os casais em segunda união. É uma pastoral citada diretamente nos documentos oficiais da Igreja. A exortação Familiaris Consortio de São João Paulo II descreve claramente como deve se organizar a Pastoral Familiar e como ela deve agir. Recentemente, a exortação Amoris Laetitia do Papa Francisco também cita e pede a atuação intensiva desta pastoral. Vários outros documentos do Vaticano e da CNBB também falam da Pastoral Familiar.


Saiba mais: https://andreparreira.com.br/livros/