Padre Acássio e a alegria de ser missionário

Após dois anos como pároco da paróquia Nossa Senhora das Graças, no Parque dos Servidores, em Ribeirão Preto, o padre Acássio Ferreira Rocha, se despediu da comunidade paroquial no dia 30 de janeiro, em celebração Eucarística presidida pelo arcebispo Dom Moacir Silva. A missa contou com a presença de padres, diáconos, seminaristas, paroquianos e amigos do padre Acássio. Nos ritos finais o arcebispo fez o envio missionário do padre Acássio que passa a integrar a Sociedade das Missões Estrangeiras (SME) num período preparatório de seis meses no Canadá, e depois segue para as missões na África. Entrevistamos o padre Acássio que nos fala sobre as expectativas desse novo serviço missionário.

Igreja-Hoje - Após dois anos à frente da paróquia Nossa Senhora das Graças, o que o levou a um retorno à missão ad gentes?

Padre Acássio: Bom! Acredito que não seja novidade alguma, para todos que me conhecem e nem para nossa arquidiocese, o meu gosto pela missão. Quando cheguei à Paróquia de Nossa Senhora das Graças, nas primeiras missas, já falava para o povo, da minha paixão pela missão. Também, dizia-lhes que estava chegando da África, que estava assumindo a referida paróquia mas, que não sabia por quanto tempo, uma vez que pretendia voltar para missão.
Vividos com total dedicação, zelo e empenho, esses dois anos nessa paróquia, senti que a sua caminhada já se fazia com uma certa naturalidade. Assim sendo, vi a possibilidade de um outro padre assumir essa responsabilidade e eu, então, ficaria disponível para voltar à missão ad gentes, pois, aí, há uma gritante necessidade e pouquíssima disponibilidade de missionários. Então, comecei a conversar com Dom Moacir (a quem agradeço profundamente) sobre a possibilidade do meu retorno e ele, prontamente, com o coração inteiramente aberto e comprometido com a missão da Igreja, acolheu a proposta que me fora feita.

IH - Como serão as etapas do processo formativo para a missão? Será pela Sociedade Missões Estrangeiras?

Padre Acássio: Sim, estarei retornando à missão ad gentes, com a Sociedade das Missões Estrangeiras (SME), com quem vivi uma experiência de, aproximadamente, um ano e dois meses (2015/2016). A proposta que me foi apresentada pela SME, e aceita por mim e por Dom Moacir, é que eu vá para Laval, no Canadá (ao lado de Montreal), onde está situada a casa central, para aprender o idioma inglês, conhecer um pouco mais da história centenária da SME e conviver e aprender com os diversos padres, já idosos, que estiveram - por décadas - na missão ad gentes e que agora lá residem. Depois de cinco ou seis meses nessa experiência, serei, com a graça de Deus, enviado para a missão no Quênia/África, onde já estive por quatro meses em 2016, e juntar-me-ei ao grupo que lá se encontra.

IH - Quais expectativas para o início do trabalho missionário?

Padre Acássio: Tenho esperança de fazer uma boa trajetória e uma excelente experiência nessa nova etapa da minha vida e da missão. Acredito que, os messes que vivenciarei no Canadá, serão de uma riqueza imensurável pois, estarei convivendo com padres anciãos que não tiveram medo de se entregarem à missão ad gentes, consumindo suas vidas e sua juventude, por acreditarem que o Reino de Deus é possível e precisa ser anunciado ao coração da humanidade. Minha alegria se torna ainda maior ao vislumbrar o meu retorno ao Quênia, onde estarei, se Deus assim permitir, por quatro anos com a possibilidade de renovação do contrato missionário por mais um período. Tenho convicção que os desafios surgirão e serão muitos, no entanto, trago a certeza de que me trarão maturidade e me farão, um cristão melhor, uma pessoa mais humana e mais fraterna, e do meu ministério, uma fonte de bênçãos.

IH - Como podemos assumir (leigos e clero) o mandato missionário de Jesus Cristo?

Padre Acássio: Penso que, com um coração aberto às necessidades do Reino de Deus e da Igreja. Sendo inteiramente livre e desapegado, despojando-se de tudo e de si mesmo, até mesmo da própria vida. Confiando-se inteiramente em Deus e lançando-se aos apelos que Ele faz à cada um, na sua especificidade. O missionário é aquele que esvazia-se de si mesmo para, no encontro com o outro,  preencher-se da graça de Deus.

 

Fotos: Colaboração Luci Tedeschi (Paróquia Nossa Senhora das Graças)