57ª Assembleia Nacional dos Bispos do Brasil em Aparecida

De 1º a 10 de maio acontecerá a 57ª Assembleia Nacional dos Bispos do Brasil, no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida do Santuário Nacional de Aparecida, em Aparecida (SP). Participam, segundo o Estatuto da CNBB, os 323 bispos na ativa, os 171 eméritos e representantes de organismos e pastorais da Igreja. Este ano, a AG tem a tarefa central de atualizar as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (DGAE) da Igreja no Brasil para o quadriênio 2019 a 2023.

A versão que os bispos aprovarão na 57ª AG, produzida inicialmente pela Comissão Especial sobre a atualização das Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE) 2019/2023, foi objeto de sugestões e emendas dos órgãos da CNBB, como seu Conselho Permanente, dos bispos, dos organismos e pastorais da Igreja no Brasil. Sua atualização teve início ainda na 56ª AG do ano passado quando os bispos apontaram as primeiras sugestões.

O arcebispo de São Luiz (MA) e presidente do Regional Nordeste 5, dom José Belisário da Silva, coordenador dos trabalhos desta comissão, lembra que a atuação da Igreja no mundo urbano, conforme já amadurecido pelos bispos do Brasil, é o foco do documento. “O texto reforça que vivemos uma cultura urbana, com predominância no país das grandes cidades”, acentua.

As DGAE 2019-2023 que os bispos aprovarão estão estruturadas a partir da imagem da comunidade cristã como “casa”. No centro, como eixo, está a Comunidade Eclesial Missionária, sustentada por “quatro pilares”: Palavra, Pão, Caridade e Missão.

Eleições e outros temas – Neste ano, já considerando a reforma do Estatuto da CNBB, aprovada na 56ª AG, a presidência da CNBB será composta da seguinte maneira: Presidente; 1º vice-presidente; 2º vice-presidente; Secretário-geral e Vice-secretário-geral. A assembleia também elege 12 presidentes das Comissões Episcopais Pastorais e o delegado e o suplente junto ao Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam).

Outros temas prioritários e diversos, reuniões, comunicações, celebrações e retiro integram a pauta da Assembleia. Esta edição prevê, inicialmente, duas mensagens e carta final sendo uma ao papa Francisco e outra ao prefeito da Congregação para os Bispos.

Fonte: Site da CNBB