Mais de 2,5 mil romeiros na III Romaria Arquidiocesana

Mais de 2,5 mil romeiros na III Romaria Arquidiocesana ao Santuário de Aparecida

Com a inspiração no tema do Mês Missionário Extraordinário (MME): “Batizados e enviados: a Igreja de Jesus Cristo em missão no mundo”, mais de 2,5 mil romeiros da Arquidiocese de Ribeirão Preto, se dirigiram ao Santuário Nacional de Aparecida, no sábado, 28 de setembro, para a III Romaria Arquidiocesana. O arcebispo Dom Moacir Silva presidiu a Eucaristia, às 9 horas, no Altar da Catedral Basílica de Nossa Senhora Aparecida, missa televisionada pela TV Aparecida, e que também recebeu a 7ª Romaria em ação de Graças ao dia nacional de Luta pelos direitos das pessoas com deficiência, e contou com a presença do Coral da ADEVIRP – Associação dos deficientes visuais de Ribeirão Preto e região.

O arcebispo Dom Moacir Silva, na introdução da homilia, saudou os romeiros e romeiras da Arquidiocese. “Queridos padres, caros diáconos, estimados seminaristas, caríssimos religiosos e religiosas. Queridos irmãos e irmãs, romeiros e romeiras da Mãe Aparecida. Queridos irmãos e irmãs que nos acompanham e rezam conosco por meio TV, rádio e internet. Saúdo particularmente os romeiros e romeiras da Arquidiocese de Ribeirão Preto, aqui presente no Santuário Nacional. Saúdo carinhosamente, as pessoas com deficiência nesta sua sétima romaria, igualmente saúdo e agradeço o coral da Adevirp que nos ajuda a celebrar bem os santos mistérios. Estamos aqui na casa da Mãe Aparecida! E ela sempre nos convida a escutar os seu Filho Jesus, a fazer o que Ele nos diz”, expressou o arcebispo.

Ao meditar a leitura do Evangelho (Lc 9, 43b-45), o arcebispo apontou primeiro a preocupação de Jesus em alertar os discípulos a respeito da sua missão. Jesus faz um alerta aos seus seguidores: “Prestai bem atenção às palavras que vou dizer: O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens. Mas os discípulos não compreenderam o que Jesus dizia” (Lc 9, 44-45). Dom Moacir aprofundou a reflexão e declarou que o alerta de Jesus somente tem sentido no conjunto de sua vida e se manifesta na ressurreição. “Uma visão completa e uma perspectiva exata da pessoa de Jesus Cristo e do conjunto da sua vida e obra só se adquire a partir do final desse caminho anunciado, ou seja, a partir da sua ressurreição e da sua glorificação (...) Jesus não se apresentou nem atuou como um levita ou sacerdote judeu, nem como mais um rabino, nem como um chefe de sinagoga, nem, menos ainda, como um político, um economista ou um filósofo. A sua atuação foi o profetismo, o serviço da palavra anunciando o Reino, testemunhando a verdade e denunciando uma religião corrompida pelos mestres do judaísmo do seu tempo. Destinatários principais da sua boa notícia de Deus foram os pobres, os humildes e os marginalizados da salvação e da sociedade do seu tempo. Por eles, Jesus tomou partido; e, impelido pela sua paixão pela justiça tornou realidade a libertação messiânica: Jesus de Nazaré, ungido por Deus com a força do Espírito Santo e com poder. Por toda parte, ele andou fazendo o bem, e curando a todos os que estavam dominados pelo diabo; pois Deus estava com ele (At 10, 38). Oxalá, também nós possamos passar por este mundo fazendo o bem a todos, a exemplo de Jesus; afinal, pelo Batismo fomos configurados com este Jesus que andou fazendo o bem”, frisou dom Moacir.

Ao concluir a homilia, o arcebispo disse: “Que a Mãe Aparecida, modelo perfeito do seguimento de Jesus, nos acompanhe, com sua materna proteção, em nosso caminho de discípulos de Jesus, hoje e sempre. Amém”.

Romaria - Cerca de 50 ônibus conduziram os romeiros provenientes dos 20 municípios que integram a Arquidiocese. De acordo com informações da assessoria de imprensa do santuário eram estimados a presença de 106 mil romeiros no sábado (282). A IV Romaria Arquidiocesana já está agendada mês de setembro de 2020.

Agradecimento - Gratidão! Aos romeiros e romeiras arquidiocesanos que sem medir sacrifícios e esforços participaram da 3ª Romaria Arquidiocesana e retornaram com segurança amparados pelas Mãos da Mãe Aparecida, intercessora e padroeira do Brasil. Em 2020 estaremos lá novamente, para agradecer e pedir as bênçãos da Mãe de Jesus Cristo e nossa, e esperamos a sua mobilização para retornamos juntos como família arquidiocesana e assim caminharmos como discípulos missionários de Jesus Cristo!