As surpresas

Era domingo de Páscoa e as mulheres foram ao túmulo do Senhor para colocar mais perfumes e com saudade do Mestre acalmar o coração entristecido por sua morte. Mas um anjo as surpreende e lhes dá a maior e melhor notícia de todos os tempos:- “Ele não está aqui! Ressuscitou! Ide contar aos discípulos e a Pedro”! E as mulheres, movidas pela alegria, foram aos discípulos e lhes disseram tudo conforme o anjo lhes instruíra.

Ouvimos também o anúncio do anjo, o mesmo que ressoou no coração das mulheres na madrugada da ressurreição; da mesma forma somos feitos apóstolos, enviados a proclamar a alegria, a surpresa boa de Deus que ressuscita Jesus e entusiasmar os irmãos que podem ter se desanimado ao longo do tempo. A morte foi vencida por Cristo que ressuscita e nos dá o seu Espírito de vida nova; a morte que enchia as pessoas de medo, já não tem poder sobre nós. Entretanto, não basta só saber disso tudo, dessa verdade que envolve nossa vida; é preciso vencer todas as manifestações de morte que ainda estão presentes em nosso mundo. Assim, se a morte não nos domina mais, não precisamos temer o mal e nem as suas investidas como a mentira, a fofoca, as intrigas, as chantagens emocionais, a corrupção sistêmica, ciúme e inveja que são sentimentos próprios de quem ainda não se deu conta da feição de morte que tais sentimentos causam ou se acostumaram a eles...

Anunciar a Ressurreição de Cristo é também nos deixar iluminar pela sua Luz que destrói toda treva e escuridão, que desmascara as mentiras e as artimanhas dos que praticam violência e corrupção subtraindo a vida dos mais simples, pequenos e pobres. É agora o momento de incentivar nossos leigos e leigas para que em nossas comunidades e na sociedade façam refletir a Luz potente do Senhor que vence a escuridão do mal e não nos deseja associados a nenhum tipo de quadrilha que mente e engana, explora e humilha os semelhantes.

Movidos pelo Espírito do Cristo Ressuscitado temos a responsabilidade de desmontar as minas de violência geradas por notícias falsas, mentiras deslavadas que deixam um ar de insegurança e de desconfiança entre as pessoas. É preciso renovar diariamente o nosso amor à Verdade, pois somente os que “são da verdade” é que conhecem e sabem escutar a voz do Ressuscitado. É urgente proclamar a alegria da ressurreição e transformar o mundo num imenso e belo jardim.

Contudo, como já afirmou o Papa Francisco, “há pessoas que vivem uma quaresma sem páscoa”, essas insistem em não ressuscitar, continuam no desânimo da morte, do comodismo, da paralisia doente de quem não enxerga o amor que faz nossa vida ser diferente a cada dia.

“Se ressuscitamos com Cristo”, nossa vida precisa mostrar urgentemente que em nós a vida, o amor, a alegria e a esperança enfrentam as dificuldades, agressões, abraçam a cruz, nos levam a responder ao mal com o bem. O amor é o único remédio contra as manifestações de violência e da morte. Deixemos arder o coração com o amor de Cristo que nos fortalece na caridade para vivermos a unidade e construirmos a sociedade de justiça e fraternidade.

(Parceria com o Pe. João Paulo Ferreira Ielo, Pároco da Paróquia Imaculada Conceição de Mogi Guaçu – SP)

Pe. Gilberto Kasper
pe.kasper@gmail.com

Mestre em Teologia Moral, Licenciado em Filosofia e Pedagogia, Especialista em Bioética, Ética e Cidadania, Professor Universitário, Docente e Coordenador da Teologia na Faculdade de Ribeirão Preto da UNIVERSIDADE BRASIL e UNIESP S.A., Assistente Eclesiástico do Centro do Professorado Católico, Assessor da Pastoral da Comunicação e Reitor da Igreja Santo Antônio, Pão dos Pobres da Arquidiocese de Ribeirão Preto e Jornalista.