Hoje é
Notícias

07/04
2016

Semana Santa

Fiéis celebram a Vigília Pascal em RP

A celebração da Vigília Pascal na Catedral Metropolitana de São Sebastião, na noite de sábado, 26 de março, presidida pelo arcebispo dom Moacir Silva e concelebrada


Fiéis celebram a Vigília Pascal em RP

Acesse a Galeria de Fotos

A celebração da Vigília Pascal na Catedral Metropolitana de São Sebastião, na noite de sábado, 26 de março, presidida pelo arcebispo dom Moacir Silva e concelebrada pelos padres Francisco Jaber Zanardo Moussa e Antônio lcio de Souza (Pitico), reuniu centenas de fiéis, na celebração que constitui o ponto alto do Ciclo Pascal e do Ano Litúrgico.

A Vigília Pascal é plenitude: Celebração da Páscoa de Cristo e dos cristãos; morte e ressurreição de Cristo e dos cristãos. Por isso, a celebração dos três sacramentos da iniciação cristã: Batismo, Crisma e Eucaristia. A celebração da Vigília Pascal é o maior tesouro da Liturgia Cristã. festa pascal, é festa pentecostal, é festa eucarística, expressa pelos símbolos da luz, dos elementos da natureza como a água, o óleo, o pão e o vinho.

Na porta central da Catedral de São Sebastião, o arcebispo dom Moacir Silva abençoou o fogo e desenhou no Círio a cruz e fixou os cravos. Com o fogo novo acendeu o Círio Pascal, símbolo do Cristo ressuscitado. Com as luzes da Catedral apagadas, os fiéis acenderam as velas, e a procissão de entrada adentrou o corredor central da Catedral com o Círio sendo conduzido solenemente para a proclamação da Páscoa de Jesus Cristo, e seguiu-se o rito próprio da missa.

Cristo Ressuscitou. Aleluia! Antes da bênção, o arcebispo dom Moacir Silva desejou uma Feliz e Santa Páscoa aos fiéis presentes na Catedral e a todos os arquidiocesanos: E com esta bênção solene vai também os meus votos de uma Feliz e Santa Páscoa na pessoa de vocês e a todos os fiéis da nossa Arquidiocese de Ribeirão Preto.


Leia a íntegra da Homilia de Dom Moacir Silva


Queridos irmãos e queridas irmã! Estamos celebrando solenemente a Vigília Pascal, a mãe de todas as vigílias. Por isso esta é a noite principal da comunidade cristã.

Iniciamos esta Vigília com a bênção do fogo. Com esse fogo acendemos o Círio Pascal, no qual vemos o Cristo ressuscitado. Com este fogo novo, luz que ilumina todo o ser humano, cantamos a proclamação da Páscoa dando firmeza nossa esperança. Nesta Vigília Pascal, celebramos a totalidade do mistério de Cristo. Celebramos a morte e a vida. 

Iluminados pela luz do Ressuscitado, ouvimos o próprio Deus nos falando, quando foram feitas as leituras, proclamando suas obras em vista da salvação da humanidade.

Vamos relembrar o que ele nos disse e, em seguida, assumirmos e reassumirmos nossos compromissos para com Deus, que nos faz participar desta festa tão importante e tão linda.

Imaginem uma pessoa que perdeu um ente muito querido. Um pai, uma mãe. Um grande amigo brutalmente assassinado. O corpo do falecido então é levado para o cemitério e sepultado. E depois? Vem a saudade! Dolorosa saudade... Passam os dias. E o que normalmente a gente faz? Vai até o cemitério fazer uma visita sepultura e amenizar a dor da saudade.

Algo parecido aconteceu com Maria Madalena e as outras mulheres. Elas tinham um grande carinho por Jesus, uma aprofunda gratidão, pois com certeza haviam sido imensamente beneficiadas por ele. Três dias depois de o corpo de Jesus ter sido sepultado, elas devem ter sentido uma imensa saudade do seu maior amigo. Foram então, bem de madrugada, visitar a sepultura de Jesus e chorar. Inclusive, elas levaram, como era costume, os perfumes que haviam preparado. Era o primeiro dia da semana, o nosso Domingo.

Ao chegar lá, uma grande surpresa: Elas vêem que a pedra que fechava a sepultura estava removida e o corpo de Jesus não estava mais lá dentro. Imaginem que susto! Pasmas, ficaram sem saber o que estava acontecendo.

De repente, dois personagens vestidos com roupas brilhantes pararam perto delas. Com muito medo, simplesmente baixaram a cabeça, olhando para o chão. E os dois disseram: Por que vocês estão procurando, entre os mortos, aquele que está vivo? Ele não está aqui. Ressuscitou! Lembrem-se do que ele falou para vocês, quando ainda estava na Galiléia: O Filho do homem deve ser entregue nas mãos dos pecadores, ser crucificado e ressuscitar ao terceiro. Não foi isso o que ele disse?

De fato, elas se lembraram. Elas saíram dali, e foram avisar os apóstolos e demais discípulos. Estes, julgando ser puro desvario delas (uma espécie de alucinação), não acreditaram. Pedro, no entanto, se levantou e correu ao tumulo. Diz a palavra que ele olhou para dentro e viu apenas os lençóis. Então ele voltou para casa, admirado com o que havia acontecido foi o que ouvimos, há pouco, do Evangelho de São Lucas.

Afirma o Catecismo: A Ressurreição de Jesus é a verdade culminante de nossa fé em Cristo, crida e vivida como verdade central pela primeira comunidade cristã, transmitida como fundamental pela Tradição, estabelecida pelos documentos do Novo Testamento, pregada, juntamente com a Cruz como parte essencial do Mistério Pascal (CIgC, 638).

O Apóstolo São Paulo, escrevendo aos cristãos de Roma, nos apresenta uma profunda reflexão sobre a ressurreição de Jesus, fazendo uma ligação com o Batismo.

Mergulhar na água (= batizar-se) era - e é um jeito ritual da pessoa mergulhar em Jesus Cristo com tudo o que ele significa de total doação, solidariedade, entrega da própria vida, e vitória sobre a morte. também, ao mesmo tempo, um deixar que este Cristo mergulhe e tome conta da pessoa que nele acreditou. 

Batizados (mergulhados) que fomos em Cristo, é na sua morte que fomos batizados, nos diz Paulo. Não dá para esquecer isso. Assim sendo, fomos então sepultados (enterrados) com Cristo, para que, como ele ressuscitou dos mortos, também nós levemos uma vida nova.

Cristo ressuscitou! o grande anúncio que ouvimos nesta noite. Com o passar dos tempos, movidos pelo Espírito Santo, os discípulos de Jesus entenderam e se aprofundaram no sentido deste revolucionário acontecimento na história da humanidade.

A partir do anúncio pascal desta noite, começamos a olhar para o céu e a terra, toda a imensa variedade da criação, com outros olhos. Sobretudo o ser humano, nós o olhamos e contemplamos agora recriados imagem e semelhança de Deus, no meio de toda a criação agora também renovada.

A partir do anúncio pascal desta noite, começamos a entender o profundo sentido escondido na promessa que Deus fez a Abraão, por causa da coragem que ele teve de não recusar seu próprio filho. Através de Jesus, o verdadeiro descendente de Abraão e Filho de Deus não poupado até morte, todas as nações da terra foram abençoadas.

A partir do anúncio pascal desta noite, começamos a entender o profundo sentido escondido na libertação do povo de Israel, saindo da escravidão do Egito para a terra da liberdade, atravessando o Mar Vermelho. Passagem da morte para a vida, passando pelas águas. Isso não faz lembrar o Batismo?

A partir do anúncio pascal desta noite, entendemos que Cristo, totalmente mergulhado na realidade humana pela sua morte e ressurreição, fez de nós, pelo nosso mergulho nele, também participantes da sua definitiva vitória sobre a morte. Pois ele, imolado já não morre e, morto, vive eternamente.

Na ressurreição de Jesus, foi alcançada uma nova possibilidade de ser homem, uma possibilidade que interessa a todos e abre um futuro, um novo gênero de futuro para os homens. Abre, portanto, a vida eterna para o ser humano, pois com a ressurreição de Jesus a morte não mais a ultima palavra. Por isso, rezamos no inicio desta Vigília para que a festa Páscoa acenda em nós o desejo do céu (Bênção do fogo novo).

A partir do anúncio pascal desta noite, entendemos o sentido profundo do nosso batismo, pelo qual participamos plenamente da Páscoa de Cristo. Fomos consagrados para a vida do Deus misericordioso, que nesta noite, amorosamente sussurra no silêncio do nosso coração: Você é meu, você é minha, e disso não abro mão, nunca mais.

A celebração da Páscoa do Senhor é uma renovação profunda do nosso ser e crescimento na santidade e na justiça.

Que esta celebração pascal nos fortaleça em nossa caminhada e nos conserve sempre unidos no amor com que Cristo nos amou para anunciarmos o seu evangelho, a sua pessoa, vida, morte e ressurreição. Queremos realizar e celebrar o encontro pessoal com ele, nesta celebração comunitária. Queremos segui-lo e ajudar as pessoas a se encontrarem com Ele. Que o Senhor nos ajude neste nosso propósito, hoje e sempre. Amém!

Dom Moacir Silva
Arcebispo Metropolitano

Vigília Pascal - Catedral - 26 de março de 2016 


CONTATO

Rua Tibiriçá nº 879 – Centro
CEP: 14010-090
Ribeirão Preto/SP


Atendimento

de 2ª a 6ª feira
Das 8h às 12h
Das 13h às 17h (16) 3610 8477

Copyright © 2019 - Arquidiocese de Ribeirão Preto - Desenvolvido por Com5