Hoje é
Notícias

22/08
2016

Diaconato Permanente

Missa de corpo presente do diácono Antônio Del Lama

A missa exequial de corpo presente do diácono Antônio Del Lama, na segunda-feira, 22 de agosto, presidida pelo arcebispo dom Moacir Silva, na Igreja Abacial Santo Antônio de Pádua


Missa de corpo presente do diácono Antônio Del Lama

A missa exequial de corpo presente do diácono Antônio Del Lama, na segunda-feira, 22 de agosto, presidida pelo arcebispo dom Moacir Silva, na Igreja Abacial Santo Antônio de Pádua, nos Campos Elíseos, em Ribeirão Preto (SP), s 11 horas, concelebrada pelos monges beneditinos e padres diocesanos, e com a presença de diáconos, seminaristas, amigos, familiares e grande número de fiéis. 

Diácono Antônio Del Lama, 94 anos, faleceu s 14 horas, no domingo, 21 de agosto, Solenidade da Assunção de Nossa Senhora, em sua residência. Natural de Ribeirão Preto, tendo nascido em 18 de junho de 1922, na Colônia Preta, hoje Bonfim Paulista. Era casado com Aparecida Carlucci Del Lama, já falecida, e teve 14 filhos. Foi ordenado por dom Bernardo José Bueno Miele, em 22 de abril de 1978, na Igreja Abacial Santo Antônio de Pádua, e exerceu o ministério diaconal por 39 anos nos seguintes locais: na Igreja Abacial Santo Antônio de Pádua, na Capela Nossa Senhora das Graças (responsável pela construção) e no serviço de exéquias e atendimento s famílias enlutadas nos velórios do Cemitério da Saudade.

Manifestamos aos familiares, amigos, as nossas orações. O Clero da Arquidiocese de Ribeirão Preto em unidade reza pelo descanso eterno do diácono Antônio Del Lama.


Na homilia, o arcebispo dom Moacir Silva, manifestou a solidariedade e as orações aos familiares. Minha saudação fraterna e solidária aos filhos e demais familiares do nosso caríssimo diácono Del Lama. Ontem, terminou a sua caminhada entre nós, não podia ser um dia mais bonito para deixar esse mundo e ir para a casa do Pai. O dia em que a Igreja celebrava a Assunção de Nossa Senhora. E a Assunção de Maria aponta para nós o nosso destino eterno que é justamente nossa glorificação junto de Deus, disse dom Moacir.

Dom Moacir, na sequência da homilia, fez referência ao sentimento de gratidão pelo bem feito pelo diácono Del Lama durante o seu tempo de vida e também pela disponibilidade em servir no ministério diaconal. O nosso primeiro sentimento é gratidão a Deus pelo tempo, os mais de 90 anos que ele esteve entre nós, vivendo a sua fé, a esperança e o amor. Nesse tempo que ele testemunhou a sua fé e a vida de família como esposo, pai, avô, sempre apontou o caminho da comunhão com Deus e viveu aquilo que é a nossa preocupação enquanto Igreja, a transmissão da fé cristã s novas gerações, salientou o arcebispo.

Dom Moacir ainda falou sobre o testemunho do diácono Del Lama no serviço do ministério diaconal. Louvamos a Deus pelo seu ministério diaconal! Chamado por Deus ao ministério diaconal não colocou obstáculo, ao contrário, colocou-se a serviço da Igreja neste ministério. Quantas pessoas encontraram Deus, começaram a vida nova com Deus, pelas mãos dele, e aí começou a vida cristã para cada uma dessas pessoas batizadas por ele. Quantos casais não começaram a vida nupcial por meio do ministério de nosso irmão diácono? Quantas famílias no momento de dor, de sofrimento, pela partida de um ente querido, escutaram dele palavras de consolo, de esperança e fé? Quantas famílias ele consolou no seu ministério diaconal por ocasião da partida de um ente querido. Quanto bem Deus fez a tantas pessoas através do ministério dele, enfatizou dom Moacir.

Somos cidadãos dos céus! Por mais tempo que vivamos neste mundo, aqui não é a nossa pátria. Estamos aqui de passagem. Deus nos fez para Ele. Deus nos quer junto Dele. Jesus deixou claro no Evangelho: iria preparar um lugar, depois viria e levaria os apóstolos, ou seja, cada um de nós para estar junto Dele com o Pai, porque a nossa realização plena e definitiva será quando deixarmos este mundo provisório e entrarmos no definitivo de Deus, explicou o arcebispo.

Terminada a concelebração seguiu-se o rito exequial. O sepultamento ocorreu s 13h30, no Cemitério da Saudade.






CONTATO

Rua Tibiriçá nº 879 – Centro
CEP: 14010-090
Ribeirão Preto/SP


Atendimento

de 2ª a 6ª feira
Das 8h às 12h
Das 13h às 17h (16) 3610 8477

Copyright © 2019 - Arquidiocese de Ribeirão Preto - Desenvolvido por Com5