A Igreja Santo Antoninho, Pão dos Pobres, corre risco de desabar (Parte 1)

Leia também:
A Igreja Santo Antoninho, Pão dos Pobres, corre o risco de desabar (Parte 2)
A Igreja Santo Antoninho, Pão dos Pobres corre o risco de desabar (Parte 3)

Nossa provisão como Reitor da Igreja Santo Antônio, Pão dos Pobres data de 17 de abril de 2008, assinada por Dom Joviano de Lima Júnior, SSS, então Arcebispo Metropolitano de Ribeirão Preto. Chegamos para a primeira celebração dominical no dia 20 de abril de 2008. Em 2013 nosso atual Arcebispo Metropolitano de Ribeirão Preto, Dom Moacir Silva renovou a provisão por “Tempo Indeterminado”!

Portanto faz 14 anos que tento, sem êxito, restaurar a Igreja Santo Antoninho, que deveria ser um Espaço Cultural de Espiritualidade. Hoje o cenário e o paisagismo visto de todos os lados do Templo são deprimentes. Não tenho a pretensão de transferir responsabilidades. Porém, a burocracia e certa dificuldade de mais sérias políticas públicas, em nada contribuiu para que as obras da Santo Antoninho, roubada 24 vezes nesses 14 anos, se concretizassem. Em 2018 formou-se um Grupo de “Amigos da Santo Antoninho”, que infelizmente não evoluiu em seu real propósito de nos ajudar com o restauro. Para salvaguardar o patrimônio “tombado”, investimos em segurança e o último roubo com arrombamento da Igreja ocorreu na madrugada de 20 de janeiro de 2020, dia em que chegando para celebrar meus 30 anos de Ordenação Presbiteral me deparei com um cenário horrível: levaram o que puderam, inclusive meu cálice de ordenação sacerdotal. Uma grade que separa a Igreja da Casa da Amizade, hoje totalmente demolida, também foi furtada. Procurada a Delegacia de Polícia na Rua Piracicaba para o registro de Boletim de Ocorrência, aguardamos até hoje um retorno, que muito gentilmente nos atendeu, mas que depois nos esqueceu.

A Igreja anteriormente denominada Capela foi elevada à categoria de Reitoria no dia 15 de agosto de 1995, sendo seu primeiro Reitor Cônego Arnaldo Álvaro Padovani, falecido dia 1º de junho de 2010. Celebrando o 800º aniversário de nascimento de Santo Antônio que o então Arcebispo Metropolitano de Ribeirão Preto, Dom Arnaldo Ribeiro, reinaugurou a Capela parcialmente reformada, tanto em seu interior como o telhado e o presbitério que estava tomado de cupins em tudo que era de madeira. Cônego Arnaldo com auxílio da Comunidade e da ADVENIAT, Entidade Episcopal Alemã, tornou o espaço novamente usável para perpetuar a tradição da Família Proença da Fonseca, que no item 8º do Testamento “legou a Capela à Arquidiocese de Ribeirão Preto…”.

A Igreja Santo Antônio, Pão dos Pobres nunca ficou “abandonada” ou fechada como alguns imaginam e até denunciam. Me perdoem a ignorância, mas penso que a Arquidiocese de Ribeirão Preto ou pelo menos eu como responsável direto sobre a conservação do Templo, deveria ter sido notificado do tombamento provisório ocorrido em 2009 e confirmado pelo CONPPAC. Fiquei sabendo do tombamento por uma querida advogada, Dra. Cristina, de saudosa memória, numa reunião de Equipe de Nossa Senhora. Ela, me perguntando onde eu estava trabalhando, respondi com muito entusiasmo, de que havia recebido a missão de evangelizar o amado povo e restaurar a Igreja Santo Antoninho, Pão dos Pobres. A Dra. Cristina me disse que não desejava me decepcionar, mas que a Igreja juntamente com a Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas e o Mosteirinho aos fundos da Igreja haviam sido tombados e que qualquer reforma ou restauro precisaria da autorização do CONPPAC, sob o risco de as obras serem embargadas. Já a “Casa da Amizade” e não da “Saudade” como alguns afirmam, datada de 1957, não sendo da responsabilidade da Arquidiocese de Ribeirão Preto e sim da Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas ficou sob o zelo do então Inventariante Dr. Rubens Cione e após seu falecimento de seu filho, Dr. José Arnaldo Vianna Cione.

(Continua…)

Pe. Gilberto Kasper
[email protected]

Mestre em Teologia Moral, Licenciado em Filosofia e Pedagogia, Especialista em Bioética, Ética e Cidadania, Professor Universitário, Docente no CEARP – Centro de Estudos da Arquidiocese de Ribeirão Preto, Assistente Eclesiástico do Centro do Professorado Católico, Assessor da Pastoral da Comunicação, Pároco da Paróquia Santa Tereza de Ávila e Reitor da Igreja Santo Antônio, Pão dos Pobres da Arquidiocese de Ribeirão Preto e Jornalista.

Veja também:

Divulgada a Carta Final do 18º Encontro Nacional de Presbíteros

Cerca de 532 presbíteros de todas as dioceses do Brasil estiveram reunidos no Santuário Nacional, em Aparecida (SP), nos dias 9 a 14 de maio, para participar do 18º Encontro Nacional de Presbíteros. Ao final do encontro foi divulgada a Carta do 18º Encontro Nacional de Presbíteros.