A vida é missão

Neste mês de outubro, reproduzo aqui o compromisso missionário assumido por nossa Arquidiocese, na 15ª Assembleia Arquidiocesana de Pastoral (15ª AAP).

O processo da 15ª AAP mostra-nos diversas ações missionárias desenvolvidas por nossas comunidades, padres, diáconos e fiéis. A expansão da Ação Missionária Ribeirão Preto/Amazonas, com o crescente número de padres e leigos visitando e acompanhando os trabalhos missionários, as comunidades assistidas pela nossa Arquidiocese nas terras amazônicas. Os grupos missionários, de reza do terço, de novenas de Natal, cada vez mais ampliados, apontam-nos a vivência da “Igreja do ir”, da Igreja em saída.

Porém, apesar disso, sente-se que a consciência missionária mantém-se ainda bem frágil, com poucas articulações missionárias com os jovens e ações de evangelização desenvolvidas apenas com os jovens que estão dentro da Igreja, mas está muito distante dos jovens que estão fora. Clama-se por Paróquias com atendimentos em horários mais acessíveis e que vivam verdadeiramente a fraternidade.

Diante destas luzes e sombras, para que sejamos uma Igreja decididamente missionária, na qual “o cristão é convidado a comprometer-se missionariamente, ‘como tarefa diária’, em ‘levar o Evangelho às pessoas com quem se encontra, tanto aos mais íntimos como aos desconhecidos’” (DGAE, 187), em Assembleia, assumimos os seguintes compromissos:

1. Considerar uma prioridade pastoral histórica o investimento de tempo energia e recursos com os jovens. Formar acompanhadores de jovens, promover missões juvenis em vista da renovação de experiências de fé e de projetos vocacionais e abrir espaços para que os jovens criem novas formas de missão, por exemplo, nas redes sociais (ChV, n. 240, 241 e 246). Disposição em conhecer as novas juventudes; quem são, onde estão, o que fazem nossos jovens hoje. Usar das mídias digitais, onde estão os jovens, para alcançá-los. Divulgar mais a ideia e a proposta do Setor Juventude. Descobrir e investir, no Clero e entre os jovens, vocacionados para trabalhar com as juventudes e investir neles.

2. Desenvolver os projetos de visitas missionárias a áreas e ambientes mais distanciados da vida da Igreja (…). Evitar realizar visitas únicas ou pontuais, destinadas apenas a apresentar a realidade eclesial já existente. Capacitar coordenadores e animadores para que a comunidade de comunidades seja realidade e não apenas projeto. A setorização não pode ser apenas uma multiplicação de missas e terço, mas a criação de um espaço de vivência e partilha da Palavra e da vida. Implantar e aperfeiçoar os Conselhos Missionários Paroquiais (COMIPA).

3. Valorizar como espaços missionários os hospitais, as escolas e as universidades, o mundo da cultura e das ciências, os presídios e outros lugares de detenção. Em espaços assim, a presença fraterna e orante é o ponto de partida para o anúncio e a formação de comunidades.

4. Investir em comunidades que se autocompreendam como missionárias, em estado permanente de missão, indo além de uma pastoral de manutenção e se abrindo a uma autêntica conversão pastoral (DAp, n. 366 e 370). Novos lugares, novos horários, linguagem renovada e pastoral adequada às novas demandas da população. Priorizar a pessoa como objetivo da ação missionária. A Cultura do Encontro deve ser o pano de fundo para a missão permanente. (Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Arquidiocese de Ribeirão Preto – 2019/2023. P. 17 e 18).

O Papa Francisco nos lembra: “A missão no coração do povo não é uma parte da minha vida, ou um ornamento que posso pôr de lado; não é um apêndice ou um momento entre tantos outros da minha vida. É algo que não posso arrancar do meu ser, se não me quero destruir. Eu sou uma missão nesta terra, e para isso estou neste mundo” (EG, 273). A vida é missão.

Dom Moacir Silva
Arcebispo Metropolitano

Boletim Igreja-Hoje – Outubro/2020

Veja também:

Pastoral da Sobriedade realiza a Semana Nacional de Políticas Sobre Drogas

Começa no sábado, 19 de junho, e vai até a terça-feira, 29 de junho, a Semana Nacional de Políticas Sobre Drogas, com o tema “Para que todos tenham vida”. Organizada pela Pastoral da Sobriedade da Arquidiocese de Ribeirão Preto a semana contará com atividades celebrativas, palestras, roda de conversa, e por motivo da pandemia, toda programação será transmitida na página do Facebook da Arquidiocese de Ribeirão Preto

Reze o Rosário com os membros do Apostolado da Oração

Neste mês de junho, dedicado ao Sagrado Coração de Jesus, os membros do Apostolado da Oração da Arquidiocese de Ribeirão Preto (Rede Mundial de Oração do Papa), com a impossibilidade de se reunirem presencialmente devido a pandemia, buscaram se reinventar e gravaram a recitação do Rosário.

Formação para Catequistas – FORANIAS

A Equipe Arquidiocesana da Animação Bíblico-Catequética promove no dia 17 de junho (quinta-feira), às 20 horas, a formação para os Catequistas das paróquias das Foranias Santo Antônio, Bom Jesus da Lapa e Cristo Operário. O tema será “O mundo digital e Catequese à Luz do Espírito Santo” com base no Diretório para Catequese.