Ações solidárias paroquiais no enfrentamento da pandemia

O avanço progressivo da pandemia do novo coronavírus somado às medidas adotadas pelas autoridades sanitárias (decretos dos governos estaduais e municipais), atrelado a falta de uma coordenação nacional no combate da pandemia, tem trazido preocupações e incertezas no combate da pandemia. As medidas prescritas pelas autoridades sanitárias como eficazes ao combate do vírus indicam um protocolo a ser seguido tendo como estratégia o isolamento físico (lockdown), restrições para evitar aglomerações de pessoas, entre outras medidas, como indicou o decreto da Fase Emergencial do Plano São Paulo (estratégia do Governo do Estado de São Paulo para vencer a COVID-19), supervisionado pelo Centro de Contingência da Secretaria de Estado da Saúde, nos meses de março e abril deste ano, e a permissão para o funcionamento apenas das atividades essenciais ou serviços emergenciais, entre elas: hospitais e postos de saúde, farmácias, pet shop, óticas, supermercados, padarias, materiais de construção, escritórios e administrativos essenciais, shopping, galerias, comércio em geral e restaurantes (no sistema delivery, drive-thru e take out); e a suspensão das seguintes atividades: atividades religiosas de qualquer natureza, eventos esportivos de qualquer espécie, academias e clubes, salões de beleza, estética e barbearias, aglomerações em espaços públicos, em especial, nas praças, parques e academias ao ar livre, atividades administrativas presenciais no comércio e prestadores de serviços não essenciais.

Combate a Pandemia

A falta de estrutura para uma fiscalização eficaz dos órgãos públicos, uma melhor organização da aplicação das medidas sanitárias, a ineficiência de projetos sociais de assistência social (auxílio emergencial) para possibilitar a sobrevivência diante das restrições, a questão da ignorância frente a doença, a falta da consciência dos cidadãos para seguir as medidas básicas (higienização, uso de máscara facial, isolamento físico), e situações sociais de vulnerabilidade, que impedem seguir as medidas em sua integralidade, entre outras situações, são impeditivos e sinais de reducionismo no enfrentamento da pandemia.

Covid-19 e Vacinação no Brasil

No dia 26 de fevereiro, o Brasil completou um ano do primeiro caso da doença. Um ano depois, em 26 de março de 2021, registramos 251.498 mil mortes pela Covid-19. O número de casos e mortes nos meses de março e abril subiram em escalada progressiva. Até o dia 13 de abril foram contabilizados, segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), 361.884 mil mortes. A vacinação contra a Covid-19 no Brasil começou em 17 de janeiro de 2021, e segue em ritmo lento diante da dificuldade de contar com insumos para a produção de imunizantes, e também das disputas políticas entre os governos federal e estadual, e até de setores empresariais. A primeira fase da campanha de vacinação contempla os grupos prioritários. Segundo dados do Vacinômetro, do Conselho Nacional de Saúde, foram aplicadas até 14 de abril, um total de 33 milhões de doses, sendo 24,3 milhões (primeira dose) e 7,6 milhões (segunda dose), um alcance de 11,7% (primeira dose) e 3,6% (segunda dose) da população brasileira.

Mapa da Fome

Em setembro de 2020, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2017-2018, e o indicativo do retorno do Brasil ao Mapa da Fome. A insegurança alimentar chega ao lar de 10,3 milhões de brasileiros, isto entre 2017 e 2018, com a incidência da pandemia este número é muito maior. Os resultados do Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no contexto da pandemia da COVID-19 no Brasil, estudo da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede PENSSAN), aponta que a disseminação do novo coronavírus aumentou ainda mais a desigualdade entre as diferentes realidades sociais. “Segundo a pesquisa feita, nos últimos três meses de 2020, mais de 19 milhões de pessoas estavam passando fome no Brasil e cerca de 116 milhões de pessoas não tinham acesso pleno e permanente a alimentos”.

Ações Solidárias Paroquiais

As paróquias da Arquidiocese de Ribeirão Preto têm realizado periodicamente campanhas e ações solidárias caritativas em favor das pessoas atingidas direta ou indiretamente pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Os gestos de solidariedade e caridade cristã visam minimizar os efeitos das duras medidas de isolamento social adotadas por muitos governos seguindo as orientações das autoridades sanitárias para conter o avanço da pandemia. Nos meses de março e abril muitas paróquias da arquidiocese promoveram ações solidárias de arrecadação de alimentos no formato “Drive-Thru Solidário” para montagem de cestas básicas destinadas às famílias atendidas pelas paróquias e outras em situação de vulnerabilidade social, e também para os Seminários da Arquidiocese. Relatamos aqui alguns desses trabalhos e ressaltamos que, trata-se de uma breve amostragem das iniciativas, um pequeno registro da imensidão de gestos de solidariedade e caridade cristã verificados nas paróquias da arquidiocese.

Agentes de Pastoral da paróquia Santa Maria Goretti na campanha “Dar de comer a quem tem fome”

Mesa Solidária em Jardinópolis

A paróquia São Sebastião, em Jardinópolis, realizou nos dias 20 e 27 de março, e 10 de abril, das 9h30 às 11h, a iniciativa “Mesa Solidária”. A convocação do pároco padre Fernando Soares, mobilizou os paroquianos e colaboradores a doarem gêneros alimentícios. As doações totalizaram 3 mil quilos de alimentos que foram disponibilizados em uma mesa defronte a paróquia para serem retirados conforme as necessidades das famílias.

Padre Fernando Soares explicou as motivações que levaram a comunidade paroquial a implementar a iniciativa “Mesa Solidária”. “Somos uma comunidade que vive na periferia de Jardinópolis, e procuramos sempre viver o espírito de Igreja em saída. Como consequência, vivemos a verdadeira caridade, que brota do fundo do coração, de um desejo da alma e não do ego, ou da necessidade de aparecer diante aos olhos alheios. Aprendemos com atitudes como esta, que praticar o bem traz benefícios para o corpo e a alma, enriquece-nos como seres humanos e nos torna imensos para Jesus. Afinal, ser humano deveria ser um objetivo que todos os humanos deveriam chegar, mas infelizmente ainda não é possível. Estamos vivendo tempos difíceis onde infelizmente a busca pelo partidarismo impede as pessoas de enxergarem realmente a necessidade do outro. Chega a ser um pecado, no sentido mais estrito do termo. Precisamos, todos, fazer um bom exame de consciência para que a conversão nos leve ao amor e não a divisão, leve-nos a uma vida evangélica, solidária e missionária”, explicou o pároco.

Mesa Solidária na paróquia São Sebastião em Jardinópolis

Drive-Thru Solidário

Algumas das cestas básicas: resultado da coleta de alimentos na Basílica Menor Santo Antônio de Pádua

Com a proposta de evitar aglomerações e de forma segura evitar o contato físico, algumas paróquias, com o apoio de voluntários, organizaram a arrecadação de doações de alimentos não perecíveis no formato “drive-thru”. Em Ribeirão Preto, a Basílica Menor Santo Antônio de Pádua, nos Campos Elíseos, no dia 27 de março, realizou o “Drive-Thru da Caridade”, em prol dos trabalhos beneficentes da Pastoral Pão dos Pobres, que destina mensalmente 100 cestas básicas as famílias assistidas pelo projeto paroquial, e distribui ainda aproximadamente 50 cestas básicas emergenciais ao mês. Os paroquianos colaboraram e foi possível arrecadar cerca de 2 mil quilos de alimentos e produtos de limpeza.

No Castelo Branco Novo, a paróquia São Francisco de Assis, no Domingo de Ramos, 28 de março, promoveu a coleta de alimentos para a montagem das cestas básicas a serem entregues as famílias assistidas pela paróquia.

Em Cássia dos Coqueiros, a paróquia Santa Rita de Cássia, realizou em 30 de março, a Campanha Igreja Solidária. Em veículo apropriado o pároco padre Cláudio Pires Marçal percorreu as ruas da cidade e os fiéis puderam fazer as doações de alimentos que totalizaram 60 cestas básicas.

Cestas Básicas Solidárias

A Pastoral Social da paróquia Santa Teresinha Doutora, na Ribeirânia, no dia 27 de março, destinou doações às paróquias irmãs e entidades assistidas totalizando: 90 cestas básicas; 20kg de linguiça e 20kg de frango; 168 litros de leite; 60 unidades de fraldas geriátricas e 160 quilos de roupas e sapatos.

A ação caritativa “Campanha Cesta Básica”, realizada mensalmente pela Quase Paróquia São Joaquim e Sant´Ana, em Ribeirão Preto, contou com a colaboração dos fiéis e arrecadou nas duas primeiras semanas de abril alimentos para a montagem de 168 cestas básicas.

No Domingo da Misericórdia, 11 de abril, a paróquia Santa Maria Goretti, na Vila Virgínia, realizou a campanha “Dar de comer a quem tem fome”. Com a colaboração de voluntários que montaram uma tenda defronte a paróquia, e os fiéis puderam passar em seus veículos e deixar os alimentos que possibilitaram a montagem de 12 cestas básicas. A distribuição das cestas conta com o apoio do Conselho de Pastoral Paroquial (CPP) que indica as famílias que precisam receber os alimentos. Como agradecimento os jovens entregaram aos doadores um terço da misericórdia confeccionado por algumas senhoras da paróquia.

Ação Solidária no Jardim Paulista

Inspirados na iniciativa da paróquia Santo Antônio, do município de Joinville (SC), que motivou os fiéis a doarem cestas básicas para serem entregues às famílias necessitadas, e as mesmas foram colocadas nos bancos da Igreja; em 17 de abril, os paroquianos da paróquia São Paulo Apóstolo, no Jardim Paulista, em Ribeirão Preto, atenderam ao pedido do pároco padre Elviro Pinheiro da Silva Júnior, e doaram cestas básicas e alimentos, que foram colocados nos bancos da Comunidade Nossa Senhora de Lourdes, e que serão doadas as famílias em vulnerabilidade social. Em postagem na página do facebook e instagram a paróquia agradeceu a generosidade da comunidade paroquial: “Que alegria ver a Providência Divina se realizar por meio da generosidade de cada um de vocês, paroquianos. Gratidão a todos que participaram de nossa ação solidária. 140 famílias serão abastecidas com o básico para alimentar os seus. Deus os abençoe abundantemente”.

Ação solidária na paróquia São Paulo Apóstolo, no Jardim Paulista, em Ribeirão Preto

Seminário: Como gesto concreto da Semana Santa, a paróquia Nossa Senhora Aparecida, de Sertãozinho, arrecadou a quantidade de 500 quilos de arroz para o Seminário Maria Imaculada, em Brodowski. Em postagem na página do facebook paroquial foi feita o agradecimento a participação generosa dos paroquianos.

Veja também: