Arquidiocese acolhe a casa das religiosas da Fraternidade Jesus Salvador

O Instituto Missionário Servas e Servos de Jesus Salvador (Fraternidade Jesus Salvador – Salvistas), após um ano de experiência missionária na Arquidiocese de Ribeirão Preto, com serviços pastorais junto ao Santuário Nossa Senhora de Fátima, em Cajuru, no dia 12 de março de 2022, celebrou a ereção canônica da “Casa das Irmãs Salvistas”, em missa presidida pelo arcebispo dom Moacir Silva. Um ano antes, em 13 de março de 2021, quatro religiosas, as Irmãs: Tânia, Josiane, Maria de Fátima e Bianca, foram acolhidas em missa no santuário, presidida pelo reitor/pároco, padre Robson Eduardo Nascimento, dando início a experiência missionária em Cajuru, e depois de um ano, com alegria celebraram a instalação da casa de missão e evangelização no Santuário de Cajuru. Conversamos com a religiosa Ir. Tânia Renata Santana, SJS, a respeito das expectativas e desafios dos trabalhos da “Casa das Irmãs Salvistas”.

Ir. Tânia

IGREJA-HOJE: Como foi o início dos trabalhos missionários das Irmãs Salvistas em Cajuru?

Ir. Tânia: A convite do reitor do Santuário Nossa Senhora de Fátima, padre Robson Eduardo Nascimento, tivemos algumas experiências missionárias em Cajuru, que nos mostraram um lugar propício para a vivência do carisma do Instituto. A princípio recebemos um pedido do padre Robson e da comunidade paroquial, para viver o período de um ano de experiência junto aos trabalhos pastorais do Santuário. Após um ano de experiência missionária em diálogo, comunhão, oração e discernimento com o reitor padre Robson, houve a decisão de instalação (ereção) da casa a fim de cumprir o mandato do Senhor: “Ide por todo mundo e pregai o Evangelho a toda criatura”.

IH: Quais necessidades e desafios motivaram a criação (fundação) da Casa das Irmãs Salvistas em Cajuru?

Ir. Tânia: As necessidades apresentadas pela comunidade paroquial, demonstraram a importância de um trabalho pastoral e missionário mais intenso, devido à grande extensão territorial da área do santuário, situado na periferia da cidade, possibilitando a aproximação das pessoas mais distantes e a evangelização em áreas ainda não atingidas. A necessidade de projetos sociais no santuário, onde muitas vezes, as pessoas vivem em situação de invisibilidade social, seja pela indiferença, seja pelo preconceito e falta de respeito.
Todas essas necessidades correspondem a nossa ação missionária e apostólica, como nos diz nossa Constituição: “Nosso apostolado deve ser manifestação da Igreja como sinal de comunhão entre os seres humanos, buscando conduzir a humanidade no caminho da Salvação em Cristo. O Instituto quer contribuir de maneira especial com a catequese, com as missões populares, grupos de oração, retiros espirituais, trabalhos de evangelização, tardes de louvor; evangelização através dos meios de comunicação; os trabalhos sociais tais como: creches, escolas, asilos, hospitais, presídios; assistência religiosa associações de fiéis; colaboração as paróquias e demais serviços diocesanos, com todas as outras iniciativas e intenções da Igreja Universal e particular. O objetivo é levar o povo a estar disposto ao louvor de Deus, na abertura a ação do Espírito Santo, na liturgia, na vivência dos sacramentos. O Instituto considera que os pobres, os doentes, as crianças, os jovens, os idosos e as famílias devem ser objetivos urgente de cuidado apostólico”.

@santuariodefatimacajurusp

IH: O que representa a ereção canônica da Casa das Irmãs Salvistas na Arquidiocese de Ribeirão Preto?

Ir. Tânia: Além da importância do aspecto missionário, ressaltamos que erigir uma casa na Arquidiocese, local de origem de nosso Pai Fundador, Padre Gilberto Maria Defina, no ano da abertura oficial da causa de beatificação e canonização do mesmo, é motivo de alegria e um grande sinal de Deus. Um presente do coração do Pai, pela intercessão do padre Gilberto, principalmente, porque tudo aconteceu como uma coincidência da Divina Providência.
Padre Gilberto cresceu na paróquia Nossa Senhora do Rosário, na Vila Tibério, administrada pelos padres Claretianos, os quais ajudava muito, principalmente no serviço de coroinha. Aos 25 anos, em 3 de dezembro de 1950, recebeu a ordenação sacerdotal na Catedral de São Sebastião, em Ribeirão Preto, e foi nomeado Vigário da Catedral. Por isso, exercer nosso apostolado, seguindo os passos do nosso fundador, em sua Diocese de origem, é para nós um privilégio, concedido pelo Senhor e sua Igreja, por intermédio de dom Moacir, Arcebispo Metropolitano, que nos acolheu como Pastor.

@santuariodefatimacajurusp

IH: Quais trabalhos são feitos pelas Irmãs Salvistas junto ao Santuário Nossa Senhora de Fátima?

Ir. Tânia: Atualmente estamos inseridas junto aos trabalhos da pastoral Litúrgica, MESCE, pastoral Catequética, atendimento específico às crianças da catequese, acolhimento e integração, espiritualidade e inserção na caminhada de fé; e na comunidade: orientação das famílias na missão de educar integralmente seus filhos; formação dos catequistas ; acompanhamento dos jovens da comunidade orientando e procurando atraí-los para igreja mostrando a importância em suas vidas; espiritualidade do Santuário; atendimento às famílias e aos enfermos e participação nos projetos sociais do santuário.

IH: Que avaliação pode ser feita das atividades das Irmãs Salvistas desde a chegada em março de 2021 em Cajuru?

Ir. Tânia: Mesmo diante das dificuldades que a pandemia nos trouxe, neste tempo de experiência, avaliamos que aqui é um território fecundo para o nosso campo de Missão. Podemos perceber uma terra fértil para expansão do nosso Carisma tendo claro que o caminho é árduo, desafiador e cheio de enfrentamentos. Mas podemos ver na acolhida e carinho da comunidade que estamos iniciando mais um capítulo na nossa história de Louvor. Sabemos que há muitas necessidades que ainda não foram correspondidas, mas em comunhão com a Igreja Local, iremos desbravar uma obra de evangelização, levando o povo a estar disposto ao louvor de Deus.

IH: O que define o carisma e a espiritualidade das Irmãs Salvistas?

Ir. Tânia: O Carisma do Instituto Missionário Servas de Jesus Salvador é o Louvor de Deus, sobre todas as formas, a litúrgica em primeiro lugar, e como consequência desse Louvor de Deus, a Santificação pessoal e Comunitária. Esse Carisma vivencia em profundidade a dimensão latrêutico (Adoração do Santíssimo Sacramento), isto é, de louvor, do culto Divino. Inspiração fundamental é atitude do próprio Senhor, que vive eternamente voltado para o Pai. Procuramos centralizar a nossa espiritualidade nessa dimensão, vivida em primeiro lugar na intimidade do coração, em seguido na vida Comunitária com as diversas expressões litúrgicas e devocionais e no exercício da missão procurando despertar os cristãos para o Louvor de Deus, caminho seguro para a santidade. Esse louvor se manifesta em nós, pelo desejo de estarmos unidas a Deus, assim sendo, dizia nosso fundador (Padre Gilberto), quer cuidando dos afazeres da casa quer estudando, em oração e missão no serviço aos irmãos, podemos manifestar esse louvor e a liturgia assume o primeiro lugar, porque nela que se dá o maior e mais perfeito Louvor de Jesus ao Pai.
Nossa espiritualidade é carismática enquanto nitidamente oracional e apostólica. Isto significa, que devemos colocar os dons carismáticos em prática, seja para evangelizar, salvar ou santificar a humanidade. A missão particular da Serva de Jesus Salvador, saída de nosso Carisma e Espiritualidade, é fazer com que o povo de Deus esteja disposto ao Louvor de Deus, impulsionados pela graça da Efusão do Espírito Santo, ou seja, a vivência em plenitude das graças recebidas nos sacramentos. Esta efusão se manifesta em frutos de santidade e carismas para edificar a Igreja, tornando assim, cada batizado um missionário evangelizador.

@santuariodefatimacajurusp

IH: Como está atualmente o processo de abertura da Causa de Beatificação do Servo de Deus Padre Gilberto Maria Defina?

Ir. Tânia: Estamos na fase Diocesana, já recebemos o NIHIL OBSTAT (Nada obsta) da Congregação para a causa dos Santos, e em 7 de maio de 2022, teremos a cerimônia de Instalação do Tribunal Diocesano para a causa e o ato jurídico com a presença de Dom José Negri (Bispo Diocesano de Santo Amaro), o Postulador Dr. Paolo Vilotta que representa os Institutos Missionários Servos e Servas de Jesus Salvador e juntamente com a Comissão Histórica iniciarão toda a investigação da vida do Servo de Deus desde a infância até o dia de sua páscoa e examinarão os fatos para averiguação das virtudes heróicas. Nesta ocasião haverá a Santa Missa de abertura oficial da Causa de Beatificação e Canonização do Servo de Deus Padre Gilberto Maria Defina, no Santuário Mãe de Deus, e contará com a presença de diversos Bispos, Autoridades Civis, todos os ramos da Fraternidade Jesus Salvador e o povo de Deus de forma presencial e com transmissão ao vivo pela TV Rede Vida e Canção Nova. As pessoas que tiverem informações relevantes ou testemunhos, a partir de então, devem entrar em contato para serem ouvidos também. Além disso a urna com os restos mortais do Servo de Deus Padre Gilberto Maria Defina será transladada para a linda Capela das Relíquias preparada no Seminário Salvista especialmente para que os fiéis possam visitar e rezar, fazerem seus pedidos e compartilharem as graças alcançadas. Acompanhamos com alegria esse belo e histórico momento do nosso Fundador, que nasceu, foi ordenado e viveu seus primeiros anos do ministério sacerdotal na Arquidiocese de Ribeirão Preto.

Boletim Informativo Igreja-Hoje
Edição Maio/2022

Veja também:

Divulgada a Carta Final do 18º Encontro Nacional de Presbíteros

Cerca de 532 presbíteros de todas as dioceses do Brasil estiveram reunidos no Santuário Nacional, em Aparecida (SP), nos dias 9 a 14 de maio, para participar do 18º Encontro Nacional de Presbíteros. Ao final do encontro foi divulgada a Carta do 18º Encontro Nacional de Presbíteros.