Arquidiocese sediou encontro da Pastoral da Saúde da sub-região RP-1

A Pastoral da Saúde da CNBB Regional Sul 1 (Estado de São Paulo), promoveu o dia de formação (encontro) dos coordenadores, assessores e agentes paroquiais da Pastoral da Saúde das dioceses da sub-região RP-1 formada pela Arquidiocese de Ribeirão Preto, e dioceses de Franca, Jaboticabal e São João da Boa Vista, no dia 05 de junho, das 8h às 13h, no Salão Paroquial do Santuário Nossa Senhora Aparecida, na Vila Seixas, em Ribeirão Preto.

O encontro marcou a retomada dos encontros da Pastoral da Saúde nas sete sub-regiões na modalidade presencial após dois anos de encontros virtuais por motivo da pandemia da Covid-19. O objetivo, segundo orientação do bispo referencial da Pastoral da Saúde, Dom Benedito Gonçalves dos Santos, “é nos aproximarmos para uma vivência comum, proporcionando um momento de espiritualidade e reflexão, e também, para juntos tomarmos conhecimento de como está sendo desenvolvida a ação da pastoral da saúde neste Sub-Regional: partilhando dificuldades, avanços e objetivos, trocando informações sobre nossas atividades”, motivou dom Benedito.

Temas: O encontro contou com os seguintes temas e assessores: “Falar e agir com sabedoria”, por Moacyr C. Santos Júnior, coordenador da Pastoral da Saúde da Sub-Região São Paulo; “A importância da formação para o Agente da Pastoral da Saúde”, tratado por Luciene Correa, coordenadora da Pastoral da Saúde na Região Santana (São Paulo); e “A importância do SUS no dia a dia”, assessorado por José Gimenes, coordenador estadual da Pastoral da Saúde.

O coordenador estadual da Pastoral da Saúde, José Gimenes, falou a respeito do encontro na sub-região, dos desafios no regional Sul 1 e dirigiu uma mensagem aos agentes da pastoral. “O encontro da Pastoral da Saúde nesta sub-região RP-1 tem a proposta de aproximar as dioceses irmãs e reavivar o trabalho da pastoral neste momento pós-pandemia, se é que podemos chamar de pós, pois a pandemia ainda continua com agravos menores, mas a pastoral voltou a caminhar 100% nas visitas aos enfermos, aos hospitais, nas residências. Então neste primeiro momento nós queremos proximidade e trabalhar como família pastoral. No Regional Sul 1 nós cuidados das 42 dioceses e das 6 regiões episcopais (São Paulo), e o objetivo é fazer com que a pastoral seja ativa e presencial no dia a dia do enfermo, e a pastoral continua presente, ela não parou, de forma indireta nós continuamos a estar presente na vida dos enfermos. Aos agentes da Pastoral da Saúde deixo uma mensagem de fortaleza, muita esperança, e dizer que estamos juntos, nós não abandonamos ninguém, nem os agentes, nem os enfermos, nem as famílias, porque a Pastoral da Saúde é uma grande família”, disse o coordenador.

Veja também: