Bispo africano fala do contexto terrorista e agradece a colaboração missionária

Os participantes da 83ª edição da Assembleia dos Bispos conheceram a realidade social de ameaças na Diocese de Pemba, que recebe auxílio humanitário e pastoral do Regional Sul 1. “Que a presença da Igreja seja um testemunho do diálogo e bom entendimento entre os povos” em meio aos conflitos, disse o cardeal Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer, que destacou a unidade solidária por parte das dioceses paulistas.

O último período da 83ª Assembleia dos Bispos do Estado de São Paulo, no dia 10 de junho, contou com a participação de Dom Antonio Juliasse Ferreira Sandramo, administrador apostólico da Diocese de Pemba, que recebe a ajuda pastoral e humanitária do Regional Sul 1 por meio de projeto missionário.

O bispo africano ainda destacou a importância do auxílio das arquidioceses e dioceses paulistas e apresentou a realidade social e eclesial da Diocese, marcada por conflitos e ameaças terroristas. “Estamos numa situação muito delicada porque a violência se agrava cada vez mais”, disse.

“Quero agradecer a colaboração do Regional brasileiro, de seus bispos, clero e povo de Deus, que se identificou com a realidade de Pemba por meio da Cáritas”, completou Dom Antonio ao explicar que ele, o clero, os missionários e os habitantes locais vivem uma insegurança contínua pelas ameaças de terrorismo.

Após expor o cotidiano incerto de milhares de pessoas, o bispo enfatizou que “os missionários encaram, diariamente, a cruz de Jesus, e vivenciam à fé por meio da dimensão do martírio”.

Atualmente o projeto conta com oito missionários, que não obstante os perigos oferecido às suas vidas, desejam permanecer na missão. A cooperação missionária entre a Diocese de Pemba e o Regional Sul 1 pode ser ampliada, pois alguns bispos também se dispuseram a acolher seminaristas de Pemba. Dom António agradeceu a oferta e ficou de discernir a questão com o seu clero.

O cardeal Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer, que em 2019 esteve em visita missionária à Pemba, ressaltou que o Regional Sul 1 está unido “pela oração e pela solidariedade ao povo sofrido pela violência no território africano” e concluiu motivando “que a presença da Igreja seja um testemunho do diálogo e bom entendimento entre os povos” que vivem em meio aos conflitos.

A 83ª edição da Assembleia dos Bispos segue até o meio, do dia 10, com a reflexões de algumas pastorais, comissões e organismos de trabalho do Regional.

MISSIONÁRIOS BRASILEIROS

Em entrevista à equipe de Comunicação do Regional Sul 1, Dom Dom Antonio Juliasse disse que a aproximação entre a Diocese de Pemba e o Regional Sul 1 “torna visível e concreta a vivência da sinodalidade: fazemos uma caminhada conjunta de apresentação do rosto de Deus para todos”, explicou.

“Quem olha para a Diocese de Pemba vê a dimensão universal e missionária da Igreja na presença tanto dos missionários brasileiros, como dos missionários de diferentes partes do mundo presentes aqui”, disse o administrador apostólico ao explicar o contexto social de mais de 700 mil pessoas deslocadas, sem as mínimas condições de sobrevivência, numa realidade em que os acessos são precários e os desafios pastorais são diversos.

Fonte: CNBB Regional Sul 1

Veja também:

V Romaria Arquidiocesana ao Santuário Nacional de Aparecida

A Arquidiocese de Ribeirão Preto realiza a V Romaria Arquidiocesana ao Santuário Nacional de Aparecida, no dia 25 de setembro (sábado). A missa no altar central do Santuário será presidida pelo Arcebispo Dom Moacir Silva, às 9h (da manhã).