Cearp: o único instituto eclesiástico presente no encontro dos reitores de Universidades latino-americanas com o Papa Francisco

Aconteceu entre os dias 20 e 21 de setembro, na Cidade do Vaticano (Itália), o encontro “Organizando la Esperanza”, promovido pela Rede Universitária de Cuidado (RUC), conjuntamente com a Pontifícia Comissão para a América Latina. O encontro destinava-se às Reitoras e Reitores de Universidades da América Latina interessados no tema da sustentabilidade ambiental, a partir dos pontos principais apontados pela Encíclica Laudato Sí (publicada em 2015).
Reitores e representantes das principais universidades de quase todos os países da América Latina estiveram presentes. Cabe ressaltar que não se tratava de um encontro exclusivamente para Universidades Pontifícias ou confessionais (católicas). Vivemos em uma “Casa Comum” e, portanto, o tema precisa ser discutido largamente. E com urgência! Assim, reitores de universidades públicas e privadas como por exemplo, a Unesp e a Unicamp (dentre tantas outras) dedicaram-se em aprofundar o tema e pensar práticas concretas para o desenvolvimento de uma “cultura do cuidado” dentro das universidades.
Da esquerda para a direita: Pe. Círio (Diretor do CEARP), Dr. Pasqual Barretti (Reitor da UNESP), Dr. Germano Rigacci Júnior (Reitor da PUC-Camp), e Dr. Tom Zé (Antônio José de Almeida Meirelles, Reitor da Unicamp)
Cada universidade abrange milhares de estudantes e centenas de colaboradores, entre docentes e equipes de trabalho. Assim, a estratégia de se criar uma atmosfera do cuidado no espaço acadêmico é perspicaz, pois, trata-se de um ambiente essencialmente formativo, criativo, educativo e comprometido com o desenvolvimento da ciência. Por isso, a cultura do cuidado será beneficiada ao se desenvolver a partir dos elementos que os polos universitários são capazes de oferecer. E, ao mesmo tempo, beneficia a construção de uma sociedade mais sustentável. Daí a importância e o teor do evento.

O CEARP esteve presente através de seus diretores Pe. Círio Alessandro Jacinto e Pe. Neuber Johnny Teixeira. Embora a Instituição não fizesse parte do público-alvo, o momento atual de revisão estatutária e o contínuo esforço para concretizar as mais recentes orientações eclesiásticas para a promoção do curso de Teologia indicavam que se deveria tentar, de alguma forma, tomar parte nesse momento ímpar para a educação superior em nosso continente. E, graças à bondade divina, conseguimos que as coordenações do evento disponibilizassem duas vagas para a participação do nosso Instituto. Assim, o CEARP marca a sua história como o único Instituto eclesiástico participante de um encontro de reitores de universidades da América Latina.

Padre Círio assina o apelo ao Papa Francisco para maior aprofundamento nas questões éticas no uso da Inteligência Artificial
No primeiro dia aconteceu a cerimônia de abertura oficial que contou com os profundos e acalorados pronunciamentos do Emmo. Cardeal Robert Prevost (Presidente da Pontifícia Comissão para a América Latina), dos Reitores Francisco Piñon e Agustina Rodriguez Saa (Presidentes da RUC), do Emmo. Cardeal José Tolentino de Mendonça (Prefeito do Dicastério para a Cultura e Educação), da Dra. Alessandra Smerilli (Secretária do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral) e de Dom Vincenzo Paglia (Presidente da Pontifícia Academia para a vida).
Depois, aconteceram as reuniões dos grupos de trabalho, que já estavam previamente estruturados. Aliás, desde o mês anterior, os grupos já estavam funcionando efetivamente através de trocas de e-mails, materiais e debates em redes sociais, especialmente por meio de comunicação eletrônica em grupos de WhatsApp. Eram quatro grupos de aproximadamente 50 participantes cada um. Pe. Círio e Pe. Neuber estiveram juntos compartilhando informações e propostas no GT2 (cujo tema era a Tecnologia e a Tecnocracia).
Padre Neuber assina o apelo ao Papa Francisco para maior aprofundamento nas questões éticas no uso da Inteligência Artificial
Durante aqueles dias, muitos questionamentos, anseios e preocupações foram colocados pelos participantes. O método era o “sinodal”, ou seja, da escuta e da partilha dialogal. O ambiente era bem diverso do costumeiramente enfrentado, pois, a maior parte dos reitores possuíam formação na área das ciências biológicas e saúde, ou então, no campo das engenharias. Além disso, alguns se declararam ateus, agnósticos e havia grande diversidade de religiões, inclusive pertenças a grupos religiosos afrodescendentes. Diante de tamanha diversidade e riqueza, procurou-se ouvir atentamente e pensar ações que pudessem ser estabelecidas a partir de nossa própria realidade.
Depois de ouvir, pensar, dialogar e propor, cabe à Instituição aprofundar e reverberar a experiência vivida naqueles dias de encontro. Entendeu-se que a colaboração do CEARP pode acontecer através da implantação de três linhas de ação a curto, médio e longo prazo, a saber: a disseminação da cultura do cuidado em todas as esferas da instituição; o suporte e a multiplicação da “cultura do cuidado” através da extensão acadêmica; e, por fim, a criação de redes em dimensão inter e transdisciplinar com o foco no tema da proteção ambiental.
1. Disseminação da “Cultura do Cuidado” em todas as esferas da instituição: a curto prazo, no que tange à sustentabilidade, é preciso analisar, elaborar e apresentar relatórios sobre os processos diários realizados na Instituição: consumo de energia, utilização e consumo de materiais, práticas alimentares e políticas residuais, práticas de descarte, utilização sustentável de bens de consumo, etc. É possível criar um projeto permanente que seria denominado “Laudato Sí”, “Laudate Deum”, “Papa Francisco” ou “Francisco de Assis”, que funcionaria como um suporte para a disseminação de elementos conceituais que ajudem a elaboração de materiais didáticos e informativos sobre o consumo consciente e o desenvolvimento sustentável. Além disso, o projeto pode se incumbir de fiscalização da prática sustentável dentro da Instituição, apresentando relatórios à gestão, sempre com a intenção de mitigar as práticas consumistas no espaço acadêmico.
2. Suporte e Multiplicação da Cultura do Cuidado através da extensão comunitária. A curto e médio prazo é preciso elaborar práticas para germinar a “cultura do cuidado” na comunidade civil. Em parceria com as paróquias, agentes diocesanos e instituições eclesiásticas da Arquidiocese de Ribeirão Preto e demais dioceses que formam a comunidade acadêmica, o CEARP poderia produzir e oferecer cursos formativos e materiais educativos, explorando maximamente as redes sociais, com a finalidade de provocar a consciência planetária. Os canais de comunicação do CEARP poderiam propagar mensagens semanais ou mensais sobre os temas da Laudato Sí. Seria possível implantar o Dia “C”, acerca da “Consciência sobre o Cuidado” e propagar a prática em diversas realidades: ações pastorais, catequese, escolas e, inclusive, em parceria com outras denominações religiosas. O CEARP poderia, enfim, ser um polo de suporte para a elaboração de materiais que impelem e favorecem a implantação de práticas sustentáveis nas esferas paroquiais, ampliando consequentemente, a consciência ambiental na comunidade civil.
3.  Criação de Redes em dimensão Inter e Transdiciplinar. A médio e longo prazo é possível criar estratégias para atingir as Universidades da região. A formação de redes é tarefa urgente e necessária em favor de nossa Casa Comum. Em parceria com os departamentos de outras áreas do saber, tais como, a Biologia, a Ecologia, as Engenharias Ambiental e Florestal, a Meteorologia, dentre tantas outras, a Instituição poderia enriquecer o seu repositório de subsídios didáticos e materiais informativos, com a colaboração técnica das Universidades Parceiras. Os insumos produzidos serviriam para a divulgação e distribuição no CEARP e nos ambientes da vida comunitária das paróquias e, ao mesmo tempo, nos ambientes próprios de outras comunidades acadêmicas, por se tratar de um trabalho realizado em parcerias. Entrar nas Universidades, Centros Universitários e até mesmo nas Faculdades que estão geograficamente próximas do CEARP seria o grande desafio e, juntamente com os Diretórios Acadêmicos e órgãos de gestão colegiada de Instituições Parceiras, colocar em relevo a necessidade do cuidado e fomento de outras formas sustentáveis de vida.
A princípio, as linhas de ação acima mencionadas podem parecer uma grande utopia. No entanto, o sonho é o primeiro passo para uma possível ação. Uma coisa é certa, a “Casa Comum” está em perigo e algo precisa ser feito. A tecnocracia vem se impondo como o grande império do nosso tempo e quer dominar as formas de existência, explorando cruelmente a vida do planeta. Por este motivo, durante o encontro, os mais de duzentos participantes também assinaram uma carta de apelo ao Santo Padre (espécie de abaixo-assinado), para que alguma palavra da Igreja seja pronunciada sobre a ética no uso da Inteligência Artificial, cujo acesso cresce velozmente e a cada dia. O Papa Francisco se comprometeu em desenvolver e publicar o tema “Inteligência Artificial e Paz” para o dia mundial da paz do próximo ano.
Por fim, na manhã do último dia do encontro, todos os participantes puderam presentear o Santo Padre e saudá-lo individualmente. O CEARP ofereceu uma gravura de São José, obra do artista plástico Antonio Batista. Sabe-se que o Patrono da Igreja tem um espaço muito singular no ministério do Papa Francisco. Basta recordar que o pontificado de Francisco teve início público na Solenidade de São José de 2013. O Papa, por sua vez, saudou e presenteou cada participante com o terço exclusivo e aproveitou a ocasião para dizer publicamente e, pela primeira vez, que no dia 04 de outubro lançaria uma Exortação Apostólica intitulada “Laudate Deum”, novamente abordando a problemática ambiental e instigando os acordos internacionais para medidas de cuidado mais concretas, principalmente a partir da COP-28 (que se realizará em Dubai).
Esperamos que a rica experiência vivida nos primeiros dias da primavera de 2023, sirva para germinar em nossa cultura acadêmica as sementes da corresponsabilidade, da fraternidade e, acima de tudo, do cuidado pela “Casa Comum”.
Pe. Círio Alessandro Jacinto
Diretor Geral do CEARP
@cearpoficial

Veja também:

Ano da Oração

Na preparação do Jubileu 2025, o ano de 2023 foi o ano voltado à redescoberta dos ensinamentos conciliares, contidos principalmente nas quatro Constituições do Vaticano II: Dei Verbum (DV), Sacrosanctum Concilium (SC), Lumen Gentium (LG), Gaudium et Spes (GS). O ano de 2024 é dedicado inteiramente à oração, avançando na preparação para o Jubileu 2025: “Peregrinos de Esperança”