Comissão da CNBB lança caderno para estimular ações de enfrentamento ao tráfico de pessoas no Brasil

A Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou a cartilha “Nas trilhas do enfrentamento ao tráfico de pessoas” que pode ser acessada gratuitamente.

Trata-se, segundo o bispo da prelazia de Marajó no Pará e presidente da Comissão, dom Evaristo Pascoal Spengler, de uma ferramenta para ajudar no enfrentamento ao tráfico humano.

“A cartilha visa conscientizar, animar e fortalecer as ações existentes na Igreja no Brasil, em conjunto com a sociedade civil e organismos envolvidos nesta causa, como por exemplo a Rede Um Grito pela Vida, a Associação Brasileira de Defesa da Mulher e da Infância e da Juventude (Asbrad), a Comissão Pastoral da Terra (CPT) e os núcleos de Enfrentamento, entre outros”, disse.

O caderno apresenta, além de conceitos e modalidades do tráfico de pessoas, indicações para uma cultura do cuidado e segue o método “ver, julgar e agir”. Enriquecido com ilustrações para facilitar a compreensão, é um instrumento par auxiliar no alerta, na conscientização e no enfrentamento do tráfico.

O subsídio faz parte das ações que mobilizam as pastorais, movimentos, coletivos e organizações que atuam nos processos de formação para enfrentar o Tráfico de Pessoas no Brasil e deve fortalecer as redes de enfrentamento, sobretudo neste cenário em que o país atravessa de crises social, política e econômica.

O tráfico de pessoas no mundo e no Brasil

Indicadores da Organização Nações Unidas (ONU) apontam que anualmente 50 milhões de pessoas são vítimas da escravidão moderna. O Tráfico de Pessoas que se expandiu no século 21, é considerado o terceiro maior comércio ilícito no mundo, ficando atrás apenas do tráfico de drogas e do tráfico de armas.

No Brasil, o número de pessoas aliciadas aumentou consideravelmente em razão da pandemia da Covid-19 e da crise econômica que se alastra pelo país, sobretudo com as pessoas em maior situação de vulnerabilidade social.

O Papa Francisco tem frisado que o tráfico de pessoas é consequência do individualismo, do egocentrismo e das atitudes que consideram os outros numa perspectiva meramente utilitária. Desde a criação da Comissão para o Enfrentamento ao Tráfico Humano da CNBB, em 2016, a Igreja tem avançado em articulações de combate e prevenção em todo país. Esta cartilha é um dos frutos deste trabalho.

A publicação está dentro do planejamento da Comissão em fortalecer o enfrentamento ao tráfico de pessoas junto às Pastorais Sociais e aos regionais da CNBB. A Comissão está à disposição para colaborar na assessoria e processo de articulação da temática. É só fazer contato através do e-mail: [email protected]

Acesse no link abaixo:
Trilhas do Enfrentamento do Tráfico de Pessoas

A publicação pode também ser adquirida na Edições CNBB.

Fonte: CNBB

Veja também:

Escala Diaconado Permanente – Exéquias – Mês de NOVEMBRO 2022

A Associação dos Diáconos da Arquidiocese de Ribeirão Preto (ADPARP) divulga a Escala de Exéquias (Celebração Exequial nos Velórios) para o mês de NOVEMBRO de 2022 (final de semana e segunda-feira) para atendimento nos velórios de Ribeirão Preto.