Comissões de Bioética e Vida e a Família da CNBB apontam avanço na Resolução nº 23/78/2024 do Conselho Federal de Medicina

Comissões de Bioética e Vida e a Família da CNBB apontam avanço na Resolução nº 23/78/2024 do Conselho Federal de Medicina

A Comissão Especial de Bioética e a Comissão Episcopal para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgaram nesta sexta-feira, 5 de abril, uma nota em atenção à Resolução nº 2378/2024, do Conselho Federal de Medicina.

As comissões consideram a Resolução como um importante passo no reconhecimento e no respeito da dignidade e integralidade da vida no ventre materno em função de proibir “o desumano procedimento de assistolia fetal, mesmo nos casos em que a lei civil não pune a prática do aborto praticado por médico”.

A assistolia fetal, esclarece o documento, é um procedimento realizado através da injeção de drogas no coração do bebê para matá-lo antes de ser retirado do útero, independentemente de sua viabilidade extrauterina.

Confira, abaixo, a íntegra da nota assinada pelos bispos que presidem as duas Comissões da CNBB:


Fonte: CNBB

Veja também: