Concentração Arquidiocesana reúne ao menos 800 catequistas

Com o tema: “Catequese, Ministério e Missão Eclesial” e a participação de ao menos 800 catequistas, aconteceu na Solenidade da Assunção de Nossa Senhora, 20 de agosto, das 8h às 13h, na Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus, em Ribeirão Preto, para participar da XIII Concentração de Catequistas da Arquidiocese de Ribeirão Preto, promovida pela Comissão de Animação Bíblico-Catequética. O tema central contou com a assessoria do Padre Pedro Luís Schiavinato, responsável pela Escola Bíblica da Arquidiocese de Ribeirão Preto e reitor do Santuário Nossa Senhora Aparecida. O arcebispo Dom Moacir Silva esteve presente e presidiu a missa na abertura da concentração. A concentração conta com a organização dos integrantes da Comissão Animação Bíblico-Catequética, e reúne anualmente os catequistas para um momento de espiritualidade, formação, e celebração por ocasião do dia do catequista.

A concentração começou com a missa presidida pelo arcebispo Dom Moacir Silva. Na abertura da homilia o arcebispo agradeceu o serviço e empenho dos catequistas na evangelização. “Queridos irmãos e irmãs, catequistas da nossa Igreja Particular de Ribeirão Preto, muito obrigado pelo que vocês são e significam para a nossa arquidiocese. Muito obrigado por estarem gastando a vida em ajudar crianças, adolescentes, jovens e adultos a se encontrarem com Jesus Cristo, por que essa é a nossa grande tarefa, nossa grande missão evangelizadora, catequética, é justamente possibilitar, facilitar o encontro das pessoas com Jesus Cristo, e é esse encontro que transforma a vida. É desse encontro que nasce de fato o verdadeiro discípulo missionário de Nosso Senhor Jesus Cristo”, destacou o arcebispo.

De acordo com o padre Severino Germano da Silva, um dos assessores da Comissão Animação Bíblico-Catequética, a concentração é uma oportunidade de convivência e formação para os catequistas e agentes de pastoral. “A XIII Concentração Arquidiocesana de Catequistas é um momento de reunirmos o máximo de catequistas possível, hoje somos mais de 2 mil catequistas na Arquidiocese, e este é um encontro de confraternização entre os nossos catequistas, onde nos encontramos e trocamos experiências, e assim pensamos na nossa missão, na vida pastoral enquanto catequista nas paróquias, e essas trocas de experiências são imensamente importantes para nós, e a concentração tem esse viés de fazer a gente se encontrar, se confraternizar e aprender mais sobre a catequese”, comentou padre Germano.

Formação

Na parte formativa o assessor padre Pedro Schiavinato explicou em linhas gerais o tema a ser refletido: “Catequese, Ministério e Missão Eclesial”. “A grande importância da missão e do ministério do catequista está no entendimento que todo o ministério da catequese é um grande serviço que a Igreja confia e institui aos leigos e leigas para participar da missão da Igreja, porque toda a Igreja tem a sua força ministerial, e os catequistas cada um de seu modo, segundo seu tempo e permanência no serviço catequético, é um ministério e a Igreja confia o ministério aos catequistas porque ela se sente representada e responsabilizada dentro de cada catequista. Então quando ela outorga e institui o ministério ela se sente representada nesta pessoa, e o catequista recebendo este ministério, ele se compromete (é a voz da Igreja). Por isso a grande missão eclesial é o exercício do ministério, e este exercício está dentro da comunhão eclesial, porque hoje em dia falamos em comunidade catequética, pois é a comunhão dos vários ministérios a grande força da catequese”, explicou padre Pedro.

Veja também:

Ano da Oração

Na preparação do Jubileu 2025, o ano de 2023 foi o ano voltado à redescoberta dos ensinamentos conciliares, contidos principalmente nas quatro Constituições do Vaticano II: Dei Verbum (DV), Sacrosanctum Concilium (SC), Lumen Gentium (LG), Gaudium et Spes (GS). O ano de 2024 é dedicado inteiramente à oração, avançando na preparação para o Jubileu 2025: “Peregrinos de Esperança”