Direitos Fundamentais é a intenção de oração do Papa para o mês de abril

A edição de abril de O Vídeo do Papa, que apresenta a intenção de oração que o Santo Padre confia a toda Igreja Católica através da Rede Mundial de Oração do Papa, centra-se nos direitos fundamentais, direitos que deveriam ser inerentes a todos os seres humanos, independentemente da nacionalidade, sexo, origem étnica, cor, religião, idioma ou qualquer outra condição.

As imagens de O Vídeo do Papa procuram refletir sobre o uso desses direitos fundamentais – através das mãos de inúmeros homens e mulheres que trabalham a terra, que abrem portas, que curam, que se alimentam, que estudam… – e os abusos desses mesmos direitos, nas mãos de crianças exploradas, nas mãos sofredoras de pessoas presas sem julgamento, entre outras situações críticas. Note-se que este vídeo tem o apoio da Missão Permanente de Observação da Santa Sé junto das Nações Unidas.

No vídeo, o Santo Padre afirma que é preciso ter “coragem e determinação” para defender os direitos humanos fundamentais” e pede que haja uma oposição severa “à pobreza, à desigualdade, à falta de trabalho, de terra, de habitação, de direitos sociais e laborais”.

Francisco lamenta que os direitos fundamentais ainda não sejam para todos, “há pessoas de primeira, de segunda e de descarte”, mas “cada ser humano tem direito a desenvolver-se integralmente e esse direito básico não pode ser negado por nenhum país”.

O Papa exorta que se reze por aqueles que diariamente arriscam as suas vidas para defender os direitos humanos fundamentais em ambientes de conflito.

Os ensinamentos da Igreja: direitos humanos

Desde o Papa João XXIII, na década de 1960, os direitos humanos têm estado no centro do ensinamento e da prática social da Igreja. Ainda recentemente, o cardeal Michael Czerny, sj recordou a encíclica Pacem in terris, publicada em 1963, onde São João XXIII refere que o homem “tem direito à integridade corporal e aos meios necessários para o bom desenvolvimento da vida, em particular a alimentação, vestuário, habitação, assistência médica, descanso, e, por fim, aos serviços sociais necessários”. Hoje, o Papa Francisco dá a mesma ênfase aos direitos fundamentais, destacando em particular o direito ao trabalho, à habitação, terra e alimentação.

O diretor internacional da Rede Mundial de Oração do Papa, Pe. Frédéric Fornos, sj, assinala que “não é a primeira vez que o Papa Francisco insiste na importância dos direitos fundamentais das pessoas. Na última encíclica, Fratelli tutti, o Santo Padre denuncia que “enquanto uma parte da humanidade vive na opulência, outra parte vê a sua própria dignidade não reconhecida, desprezada ou espezinhada e os seus direitos fundamentais ignorados ou violados” (FT, 22).

Este mês, Francisco pede-nos para rezar por “aqueles que arriscam as suas vidas lutando pelos direitos fundamentais em ditaduras, em regimes autoritários e inclusive em democracias em crise”. É um convite a recordar estes homens e mulheres, em tantos países do mundo, que continuam na prisão ou em situações de risco, ou que perderam a vida, e muitos deles em nome da sua fé em Jesus Cristo. Não vamos esquecê-los, vamos rezar por eles, por elas”, apela o P. Frédéric Fornos, sj.

Fonte: https://redemundialdeoracaodopapa.pt/

 

Veja também: