Ele queria ver Deus

Conta uma estória de que havia um rei que já tivera tudo o que desejava na vida. Já em anos avançados, manifestou o maior e mais importante desejo: ele queria ver Deus! Chamou à sua presença um grupo de três doutores: um cientista, um teólogo e um filósofo. Explicou-lhes que queria ver Deus e, que este era o seu mais importante desejo, daí o deixara para realizar mais para o final de sua vida, de seu reinado. Deu prazo ao grupo especializado, de três dias. Neste curto espaço de tempo, eles teriam que descobrir um modo de mostrar Deus ao rei. Do contrário, seriam castigados severamente.

O grupo começou a trabalhar, cada um em seu campo específico, numa tentativa de mostrar Deus ao rei. Foram três dias de intensa aflição e angústia.

Passado o tempo, os três homens se dirigiram ao rei. Este lhes perguntou: Então, encontraram um jeito de mostrar-me Deus, ou não? Em coro o grupo respondeu: Oh não! Vossa Majestade nos pede o impossível. Antes mesmo que o rei determinasse o castigo aos especialistas, apresenta-se diante dele um simples pastor, que acompanhara os rumores que o desejo do rei causara naquele lugar. O rei com muita desconfiança permitiu que o pastor lhe dissesse: Ouvi que Vossa Majestade quer ver Deus e, pensei em vir correndo na tentativa de ajudar a estes senhores, caso eles encontrassem alguma dificuldade.

O rei com ar de graça disse ao pastor: Ora você! Se eles, que são especialistas no assunto, não puderam mostrar-me Deus, o que você saberá sobre isso?

O pastor insistiu e o rei permitiu, porém com reservas e ameaças, caso o fizesse de bobo. Assim o pastor conduziu o rei a uma linda planície, cujo horizonte se avistava de modo magnífico. O sol brilhava com soberania. Estando os dois ali, o pastor pediu que o rei olhasse bem em direção do sol, sem piscar. O rei obedeceu, mas reagiu furioso em segundos, reclamando que olhar para o sol sem piscar o levaria à cegueira. O pastor com serenidade disse ao rei: Vossa Majestade não consegue olhar para o sol nem por um segundo; como é que quer ver Deus, que é o autor do sol, que brilha muito mais forte do que o sol e é muito maior do que tudo que se pode ver e tudo que não podemos ver?

O rei confuso, não se deu por satisfeito. Começou a fazer perguntas: Você me diz que Deus brilha tanto, a ponto de ser impossível vê-lo. Diga-me então o que vem antes de Deus? O pastor pediu ao rei que contasse os números. O rei começou a contar de um em diante. O pastor o interrompeu dizendo que contasse os números antes de um. O rei respondeu que antes de um não havia números. O pastor retrucou afirmando que também antes de Deus não há nada, que é impossível saber algo antes de Deus, porque Ele é o começo de tudo.

O rei ainda não se dando por satisfeito perguntou ao pastor, o que Deus faz? Deus, respondeu o pastor, faz isso: Troquemos as nossas roupas; Vossa Majestade me dá o que veste e eu darei o que visto. Assim fizeram. O rei um tanto irritado perguntou: Onde está Deus, para que eu o veja? O pastor respondeu: Exatamente o que nós fizemos é o que Deus faz. Ele se veste com os simples e desce até eles; dá seu trono aos pobres e fica entre eles; permite que os pequenos se assentem em seu trono (como eu sento agora) e Ele permanece um dos pequenos, como Vossa Majestade está dentro de minhas vestes. Deus se revela assim: pobre e pequeno, como todos os pobres e pequenos que Vossa Majestade encontrar em sua vida!

O rei ajoelhou-se e exclamou: Agora sim eu vi Deus! Eu conheço Deus agora e o vejo! Eis que meu desejo se realizou: encontrei e vejo Deus agora! Ele queria ver Deus e o pastor satisfez seu último e grande desejo!

Pe. Gilberto Kasper
[email protected]

Mestre em Teologia Moral, Licenciado em Filosofia e Pedagogia, Especialista em Bioética, Ética e Cidadania, Professor Universitário, Docente no CEARP – Centro de Estudos da Arquidiocese de Ribeirão Preto, Assistente Eclesiástico do Centro do Professorado Católico, Assessor da Pastoral da Comunicação, Pároco da Paróquia Santa Teresa D’ Ávila e Reitor da Igreja Santo Antônio, Pão dos Pobres da Arquidiocese de Ribeirão Preto e Jornalista.

Veja também:

V Romaria Arquidiocesana ao Santuário Nacional de Aparecida

A Arquidiocese de Ribeirão Preto realiza a V Romaria Arquidiocesana ao Santuário Nacional de Aparecida, no dia 25 de setembro (sábado). A missa no altar central do Santuário será presidida pelo Arcebispo Dom Moacir Silva, às 9h (da manhã).