Grupo Executivo Regional (GER) Sul 1 Ribeirão Preto do Cursilho assessora assembleias em Franca e São João da Boa Vista

Grupo Executivo Regional (GER) Sul 1 Ribeirão Preto do Cursilho assessora assembleias em Franca e São João da Boa Vista

O Grupo Executivo Regional (GER) Sul 1 Ribeirão Preto do Movimento de Cursilhos de Cristandade (MCC), sediado em Ribeirão Preto, no triênio 2022/2024, nos meses de junho e julho, colaborou na assessoria das assembleias dos Grupos Executivos Diocesanos (GED) nas dioceses de Franca e São João da Boa Vista. O tema central de ambas as assembleias meditou a partir do método “Ver – Discernir – Agir” a Dimensão: “Martírio – testemunho de fé, missão e resposta”, na abordagem da sinodalidade e do caminhar juntos.

Franca: A Assembleia Diocesana do Grupo Executivo Diocesano (GED), do Movimento de Cursilhos, da diocese de Franca, ocorreu nos dias 17 de junho, no Mosteiro de Claraval (MG), e contou com a assessoria na dimensão do “Ver”, do coordenador do GER Sul 1 Ribeirão Preto, Sebastião Luiz da Silva Júnior (Juninho), da conselheira Daniela Rezende da Silva e dos tesoureiros Sandro Marcio Rozado Rodrigues e Roberta Ribeiro Pereira Rodrigues.

São João da Boa Vista: A Assembleia Diocesana do Grupo Executivo Diocesano (GED), do Movimento de Cursilhos, da diocese de São João da Boa Vista, aconteceu em 1 e 2 de julho, na Casa de Encontro Coração de Maria. A assembleia contou com a assessoria de Arley, Glaucia, Daniela e de Sebastião Luiz da Silva Júnior (Juninho).

Tema Central

A assessoria do Grupo Executivo Regional (GER) Sul 1 Ribeirão Preto, nas duas assembleias, buscou refletir a dimensão do “Ver”, e contextualizou o tema central ao propor o exercício de conhecer a realidade atual no mundo, na Igreja e sobretudo no Movimento, na perspectiva da Sinodalidade, na unidade do Espírito Santo, e buscar a verdade em amor, que é o próprio Cristo. O tema central acentuou a dimensão do martírio e fez referência ao significado da palavra mártir: ser “testemunha”, aquele que anuncia, atesta e chora a alegria da ressurreição. Aquele que canta a vitória da vida sobre a morte, do amor sobre o ódio, da justiça sobre a arbitrariedade dos poderosos. O amor a Deus, impulsiona o anúncio evangélico, o ser testemunha ‘firme e inabalável’ que suporta o martírio. Nas palavras de Santo Agostinho: “não é o suplício que faz o mártir, mas a causa”.

A referência ao Papa Francisco foi trazida em uma citação sobre o martírio: “O martírio é o supremo testemunho dado em favor da verdade da fé; designa um testemunho que vai até a morte. O mártir dá testemunho de Cristo, morto e ressuscitado, ao qual está unido pela caridade. Dá testemunho da verdade da fé e da doutrina cristã”. A temática ainda fez referência ao martírio vermelho, base e alicerce da nossa Igreja marcada no testemunho de sangue dos santos cristãos. De fato, aqueles testemunhos arrastaram mais e mais pessoas para Deus. Esse tipo de sacrifício, de morrer pela Igreja ou pelo Evangelho.

Outro ponto do tema central explorou a perspectiva do martírio branco, que pode parecer pequeno na missão do cursilhista, se comparado com os mártires do Império Romano. Porém, o fiel convicto e inabalável, disposto a perder tudo em nome da Igreja, faz sorrir o Coração de Deus. O mais bonito é que, do mesmo modo que o sangue dos mártires era semente de novos cristãos, assim também as nossas humilhações, renúncias e fidelidades incondicionais fazem brotar no mundo sementes de novos amigos do Cristo. O verdadeiro católico fiel não se entristece pelas renúncias que é obrigado a fazer em nome de Cristo; ao contrário, sabe que trocou algo simples por um tesouro inigualável.

As duas assembleias contaram ainda com as palestras nas abordagens do “Discernir” e “AGIR”, e um momento especial sobre a memória do cursilho e momento jovem. As assembleias foram momentos de intensa união, formação e comprometimentos. Esperamos seguir firmes e comprometidos no propósito de aplicar os conhecimentos e ensinamentos e fomentar dentro de nossos ambientes a vivência plena do carisma do cursilho.

A Assembleia de São João da Boa vista, teve um momento de formação tendo como base o livro “Ideias Fundamentais “ do Movimento de Cursilhos de Cristandade, com o tema do Pré e Pós cursilho.

Pré-cursilho

0 Pré-cursilho é vital para a eficácia evangelizadora do método relativamente a cada pessoa concreta, para que essa pessoa possa encontrar-se consigo mesma, com Deus e com os demais e possa viver uma nova vida de acordo com esse tríplice encontro. É o tempo essencial para preparar e propiciar adequadamente a experiência plena do Cursilho e sua continuidade no Pós-cursilho.

O Pré-cursilho pretende buscar e preparar as pessoas nos ambientes, com opção preferencial pelos afastados, para possibilitar-lhes a experiência do encontro e levá-los a um processo de conversão.

Pós-cursilho

O Pós-cursilho é parte determinante e chave do método evangelizador do MCC. 0 Pré-cursilho e o Cursilho conduzem necessariamente ao Pós-cursilho. É nesse tempo que tem que se tornar realidade, na vida das pessoas, nos ambientes e na igreja, a proposta nova e renovadora do MCC, o terceiro e último tempo do método do MCC, está orientado para impulsionar a conversão pessoal e a fermentação dos ambientes, para que a pessoa seja cristã e membro da igreja no mundo.

O Pós-cursilho, pretende:

• Aprofundar a experiência do tríplice encontro (consigo mesmo, com Cristo e com os demais).
• Possibilitar uma vida de santidade, num processo de conversão consciente, crescente e compartilhada, que se apoie no tripé oração, estudo e ação
• Aumentar a consciência de ser fermento nos seus próprios ambientes.

O importante não é perseverar no MCC, mas sim na vida cristã e através de seu método próprio a perseverança e maturação na fé para possibilitar a transformação do mundo por meio daqueles que vivem o fundamental cristão de modo progressivo.

Grupo Executivo Regional (GER) Sul 1 Ribeirão Preto
@gersul1ribeiraopreto

Veja também:

Padre Alexandre defende o mestrado no Pontifício Instituto Litúrgico Santo Anselmo

Com o tema: “Gustate et videte” Sl 34,9. O paladar como elemento litúrgico-sacramental no processo de iniciação à vida cristã. O caso do Batismo”, o padre Alexandre Canella Sanches, apresentou nesta quinta-feira, 20 de junho, a dissertação de mestrado e obteve a aprovação no Pontifício Instituto Litúrgico (PIL), Santo Anselmo, em Roma