Missa da 60ª Assembleia Geral da CNBB é dedicada ao Ano Vocacional no Brasil

Missa da 60ª Assembleia Geral da CNBB é dedicada ao Ano Vocacional no Brasil

O Ano Vocacional foi o tema central da celebração eucarística do sexto dia da 60ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), 24 de abril. A missa foi presidida pelo bispo de Novo Hamburgo (RS) e presidente da Comissão Episcopal para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB, dom João Francisco Salm, e concelebrada pelos outros dois membros da comissão, dom José Albuquerque de Araújo e dom André Vital Félix da Silva.

O arcebispo Dom Moacir Silva, responsável pela Comissão Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada do Regional Sul 1 da CNBB, concelebrou estando presente no no Altar da Catedral Basílica de Nossa Senhora Aparecida.

Fotos: Martha Streb

Desde a solenidade de Cristo Rei do ano passado (20/11/2022), a Igreja no Brasil vive a experiência do 3º Ano Vocacional. O primeiro aconteceu em 1983 com o tema: “Vem e Segue-me”. Em 2003, foi o segundo Ano Vocacional com o tema: “Batismo, fonte de todas as vocações”. E este ano, 2023, a Igreja retoma pela terceira vez o Ano Vocacional com o tema: “Vocação: graça e missão” e o lema: “Corações ardentes, pés a caminho” (cf. Lc 24,32-33).

Dom Salm, durante a homilia, comentou que o Ano Vocacional tem o grande intuito de criar uma “cultura vocacional” e, para que ela seja enraizada nas famílias, nas comunidades e na sociedade é necessário “criar oportunidades para estar com o Senhor porque é Ele quem chama e envia”. A criação de uma cultura vocacional requer também “formação para conhecer a verdade sobre Deus, sobre o Ser Humano, sobre a Igreja e sobre a realidade em que nos encontramos. Requer sensibilizar os olhos para ver e o coração para superar a indiferença diante de multidões com fome e sede”. O bispo também ressaltou a necessidade de sair ao encontro, convidar, chamar, orientar e oferecer acompanhamento.

Dom Francisco Salm finalizou sua reflexão com um convite: “tenhamos certeza de fé: com oração, com espiritualidade vocacional, com trabalho organizado, com planejamento, com formação, com testemunho persuasivo, atividades concretas, desencadeando processos, criando mentalidade favorável, colheremos os frutos que Deus tem reservado para nós. Vocação é Graça; mas é, também, tarefa”.

Fotos: Martha Streb

Fonte: CNBB

Veja também: