Missa na Catedral marca a abertura da fase arquidiocesana do Sínodo dos Bispos

A Catedral Metropolitana de São Sebastião, em Ribeirão Preto, e em comunhão com toda a Igreja, acolheu no domingo, dia 17 de outubro de 2021, às 11h, a Missa de Abertura da fase arquidiocesana do Sínodo dos Bispos (2021-2023), que reflete o tema: “Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”. A abertura oficial e solene do Sínodo dos Bispos aconteceu no dia 09 de outubro, em Roma, presidida pelo Papa Francisco, enquanto nas dioceses o caminho sinodal começaria no domingo subsequente. A missa presidida pelo arcebispo Dom Moacir Silva contou com a participação dos integrantes do Conselho Arquidiocesano de Pastoral, Conselho Presbiteral, de dois representantes de cada paróquia, paroquianos da Catedral, e também padres, diáconos e seminaristas. A Comissão Especial para o Sínodo e a Comissão Arquidiocesana para Liturgia (CAL) ficaram responsáveis pela liturgia da missa. A procissão de entrada da missa, saiu do Salão Dom Alberto, após o término da formação sinodal dirigida ao Conselho Arquidiocesano de Pastoral e Conselho Presbiteral, e contou com a participação dos conselheiros em cortejo até a entrada pelo corredor central da Catedral.

Monição e Recordação da Vida

As palavras da monição inicial contextualizaram o sentido da solene celebração da missa como inspiração para caminharmos juntos em espiritualidade sinodal. “Em torno de seu Bispo, que na cátedra nos confirma na caridade, a Igreja Particular de Ribeirão Preto se reúne, decidida e esperançosa, respondendo “sim” à convocação do Papa Francisco para participarmos do Processo Sinodal que lhe foi inspirado pela força do Santo Espírito. Um caminho iniciado no domingo passado em Roma, e que hoje se alonga por todo o mundo, avançando até à XVI Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, em outubro de 2023, e que depois se refletirá na vida pastoral da Igreja, povo de Deus sempre peregrino, discípulo e missionário”.

Na recordação da vida a simbologia cristã trouxe a memória da caminhada sinodal. Foram entronizados o Círio Pascal (Cristo Ressuscitado e Luz para o mundo), o Jarro com Água (Compromisso Batismal), os quadros do Arcebispo Dom Moacir e do Papa Francisco (Colunas Apostólicas), a logomarca do Sínodo dos Bispos, na sequência representando todo o Povo de Deus: Padres, diáconos, religiosos e religiosas, consagrados, seminaristas e famílias trouxeram flores do campo para ornamentar um único vaso, e por último, o ícone de Maria em Pentecostes. “A participação de todo o povo de Deus é que fará o Sínodo acontecer. Padres, diáconos, religiosos e religiosas, consagrados, seminaristas, o laicato nas diversas formas de ação pastoral, e as nossas famílias precisam ser ouvidos e precisam se fazer ouvir! Quantos corações tocados pelo chamado do Senhor, vivendo tantas vocações! Corações abertos, flores vivas no jardim da Igreja, que querem somar forças, no grande ramalhete da Comunhão e da Participação! Celebraremos agora a Páscoa Semanal, nesta catedral que abriga a Igreja do Senhor reunida em plenitude!”

Homilia

Na introdução da homilia o arcebispo Dom Moacir fez referência a importância de compreendermos a sinodalidade como parte integrante da verdadeira natureza da Igreja. “Queridos irmãos e queridas irmãs! Com esta solene concelebração eucarística, estamos, em comunhão com toda Igreja, abrindo a Fase Diocesana do Sínodo dos Bispos 2021-2023, com o tema: ‘Por uma Igreja Sinodal: comunhão, participação e missão’. Por que um Sínodo? Porque a sinodalidade, isto é, o caminhar junto, é parte integrante da verdadeira natureza da Igreja. Porque a ‘sinodalidade é o caminho que Deus espera da Igreja do terceiro milênio’ (Papa Francisco, 17/10/15). Porque a sinodalidade não é tanto um acontecimento ou um slogan, mas um estilo e uma forma de ser pela qual a Igreja vive a sua missão no mundo”, explicou o arcebispo.

Na continuidade da homilia o arcebispo acentuou a proposta do sínodo em ser um amplo espaço de escuta à luz do Espírito Santo. “Escutar! É a palavra de ordem na Fase Diocesana do Sínodo. Precisamos envolver o maior número de pessoas nesta escuta; paróquias, comunidades, pastorais, movimentos, grupos, profissionais, políticos, comunicadores, periferias territoriais e existenciais. No dia 18 de setembro, o Papa dizia: ‘os sacerdotes devem ouvir-se, os religiosos devem escutar uns aos outros, os leigos devem escutar uns aos outros. E então, todos escutam. Escute a si mesmo; falar e ouvir uns aos outros. Não se trata de reunir opiniões, não. Esta não é uma investigação; mas é uma questão de ouvir o Espírito Santo’”, expressou Dom Moacir.

E, ainda na homilia, Dom Moacir citou a necessidade de abertura e comunhão para juntos construirmos a sinodalidade. “Fazer Sínodo é colocar-se no mesmo caminho do Verbo feito homem: é seguir os seus passos, escutando a sua Palavra juntamente com as palavras dos outros. É descobrir, maravilhados, que o Espírito Santo sopra de modo sempre surpreendente para sugerir percursos e linguagens novos. Aprender a ouvir-nos uns aos outros – bispo, padres, religiosos e leigos; todos, todos os batizados – é um exercício lento, talvez cansativo, evitando respostas artificiais e superficiais. O Espírito pede para nos colocarmos à escuta das perguntas, preocupações, esperanças de nossa Igreja Particular; e à escuta do mundo, dos desafios e das mudanças que o mesmo nos coloca. Não nos blindemos nas nossas certezas. Muitas vezes as certezas fecham-nos em nós mesmos. Escutemo-nos uns aos outros”, explicou o arcebispo.

Fazer Ressoar a Palavra de Deus

As palavras-chave do Sínodo são: Missão, Comunhão e Participação. Terminada a homilia e após um breve momento de silêncio, três breves testemunhos de diferentes membros do povo de Deus foram partilhados: o Padre Marcus Vinícius Miranda, testemunhou a natureza missionária da Igreja; a religiosa Ir. Tânia Renata Miranda, confirmou a comunhão; e o jovem Vinícius Fabbio Carrocini, expressou a participação e o compromisso com o discipulado de Jesus Cristo. Entre cada testemunho uma vela era acesa enquanto entoava-se o refrão do canto “Ó Pai somos nós o povo eleito que Cristo veio reunir”.

Itinenário Sinodal

Antes dos ritos finais, o arcebispo Dom Moacir Silva fez a entrega aos representantes paroquiais do material preparatório para a fase diocesana do Sínodo dos Bispos: o subsídio “Itinerário Sinodal” com orientações práticas para a realização da fase paroquial do Sínodo; o livreto “Celebração Inicial” a ser usado como oração de abertura nas reflexões do Sínodo e que conta com a versão musicada da Oração ao Espírito Santo atribuída a Santo Isidoro, do sexto século, e que será rezada pela Igreja no mundo todo; e um jogo de alfaias bordado com a logomarca do Sínodo a ser usado nas celebrações litúrgicas como sinal de unidade e comunhão na fase diocesana do Sínodo.

Pastoral da Comunicação
Arquidiocese de Ribeirão Preto

Veja também:

Arcebispo ordenará três novos padres para a Arquidiocese de Ribeirão Preto

No encerramento do Ano de São José na Arquidiocese de Ribeirão Preto convidamos para a Concelebração Eucarística, presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Ribeirão Preto, Dom Moacir Silva, que conferirá, por mercê de Deus a Ordenação Presbiteral aos Diáconos: Alcides, Rodrigo e Vinícius.