Nova presidência da CNBB toma posse: missão exige oração, diálogo e promoção do discernimento, segundo dom Jaime

A nova presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) tomou posse nesta sexta-feira, 28 de abril, durante a celebração de encerramento da 60ª Assembleia Geral da conferência. Também foram empossados os presidentes das 12 Comissões Episcopais permanentes.

O início da celebração foi presidido pelo arcebispo de Belo Horizonte (MG), dom Walmor Oliveira de Azevedo, que encerrou seu mandato de presidente da CNBB. Ao arcebispo de Porto Alegre e novo presidente da CNBB, dom Jaime Spengler, dom Walmor ofereceu uma palavra de proximidade e entregou de forma simbólica o estatuto e o regimento da conferência:

“Dom Jaime, agora é sua vez de conduzir a barca nessa travessia sempre muito exigente que nós fazemos por amor, como Igreja, à tarefa de anunciar o Evangelho de Jesus. Conte com nosso apoio, nossa presença, nossa oração e nossa comunhão”.

Dom Jaime agradeceu à presidência que concluiu o mandato, da qual foi primeiro vice-presidente, ressaltando a oportunidade de aprendizado com os demais membros e o desejo de continuar desenvolvendo o que foi aprendido no quadriênio. Também agradeceu ao plenário pela confiança depositada:

“Certamente é uma missão que nos desafia e muito: a complexidade do tempo, a cultura na qual nos encontramos, o momento eclesial que nós vivemos exigem de nós muita oração, muito diálogo, capacidade de promover aquilo que o Papa está pedindo de nós – discernimento em vista de uma Igreja verdadeiramente mais participativa, mais comunhão, mais missionária”.

O novo presidente da CNBB também agradeceu aos eleitos que acolheram a missão recebida da assembleia e disse que eles terão muito trabalho pela frente. “Na alegria, na disposição de fazer aquilo que o tempo exige de nós com seriedade, foco, certamente haveremos de encontrar as respostas adequadas para aquilo que a Igreja e o tempo exigem de nós”, disse.

Ao núncio apostólico no Brasil, dom Giambattista Diquattro, dom Jaime prometeu proximidade “pelo bem maior que é o bem da Igreja”. Aos bispos, pediu que “instiguem, ajudem e provoquem” a nova presidência.

“Cuidemos uns dos outros e nos deixemos cuidar uns dos outros para levar a bom termo aquilo que a Igreja, o nosso povo pedem e esperam de nós”.

No decorrer da celebração, dom Jaime comentou o Evangelho proclamado, no qual os discípulos foram chamados a ir para a Galiléia: “Galiléia está ali, depois da porta”. Ele também ressaltou que a experiência do encontro com Jesus deve ser sempre renovada. “E ali fora existe uma multidão que aguarda de nós uma palavra de fé, de esperança, gestos de caridade. neste tempo que vivemos, isso se faz exigência ainda maior”.

A promessa de Jesus ‘Eu estarei convosco todos os dias’ conforta, segundo dom Jaime Spengler.

“Coragem, vamos em frente, avancemos. Que a mãe Aparecida nos ajude, interceda por nós, por nossas igrejas particulares, pelo nosso povo e por aqueles que talvez não estejam conosco. Sejamos promotores de reconciliação iluminados pelo Evangelho”, motivou.

Posse

A posse canônica é prevista no Regimento da CNBB, e orienta que a Presidência cessante dê posse aos novos membros, bem como aos presidentes das doze Comissões Episcopais Permanentes antes do término da assembleia que os elegeu.

Foto: Victória Holzbach/CNBB Sul 3

Fonte: CNBB

Veja também: