Presidente da CNBB faz balanço sobre a reunião do Conselho Episcopal Pastoral

O arcebispo de Porto Alegre e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Jaime Spengler, fez um balanço da reunião do Conselho Episcopal Pastoral (Consep), que aconteceu dias 19 e 20. Segundo o presidente da CNBB, a reunião do Consep é sempre uma oportunidade de diálogo, fomento de iniciativas e avaliação do que vem sendo feito pela Conferência.

Dom Jaime deu destaque ao que foi apresentado pelas Comissões Episcopais da instituição em termos de planejamento para o próximo quadriênio. Outro ponto, destacado pelo arcebispo, foi o encaminhamento da Campanha da Fraternidade 2025, com o foco na elaboração de seus objetivos gerais e específicos.

O lançamento da tradução da terceira edição típica do Missal Romano mereceu destaque também do arcebispo. “É um marco na história da Igreja no Brasil. Que essa nova tradução possa ajudar as nossas comunidades a celebrar melhor e a rezar mais intensamente, de forma distinta e digna segundo a compreensão da Igreja, o mistério da redenção humana”, disse.

Sínodo sobre a Sinodalidade
O Sínodo sobre a Sinodalidade, segundo dom Jaime, também foi objeto de reflexão dos membros do Consep. O presidente da CNBB disse que foi feita uma partilha do encontro promovido pelo Conselho Episcopal Latino-americano e Caribenho (Celam), em sua sede em Bogotá (Colômbia), de 29 a 31 de agosto.

O Celam promoveu um encontro daqueles que irão participar da Assembleia Sinodal em outubro no Vaticano como membros e como facilitadores. Quase 50 participantes, bispos, leigos e leigas, membros da vida religiosa, presbíteros, representando 22 conferências episcopais que integram o Celam. Do Brasil, participam 7 representantes.

“A experiência em Bogotá foi muito valiosa para nós. Ajudou-nos a compreender a dinâmica que será usada durante o Sínodo e, ao mesmo tempo, refletimos sobre a temática propriamente desta assembleia que é a Igreja como tal”, disse.

Dom Jaime falou ainda sobre a inclusão na pauta do Supremo Tribunal Federal (STF) da votação da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) nº 442 de 22 a 29 de setembro, a pedido de sua presidente, a ministra Rosa Weber. A ação pleiteia a possibilidade de descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação.

O presidente destacou que a CNBB tem uma posição consolidada a respeito deste tema. “Certamente é uma questão que preocupa porque tem a ver com o cuidado e a promoção da vida. Não podemos atropelar o debate em torno de uma questão tão delicada quanto a vida humana. Estamos atentos àquilo que vem sendo feito e aos encaminhamentos dados. Abriu-se a possibilidade de um debate maior no STF sobre este tema que tem implicações éticas e morais”, disse.

Foto: Luiz Lopes – Ascom CNBB.

Fonte: CNBB

Veja também:

Ano da Oração

Na preparação do Jubileu 2025, o ano de 2023 foi o ano voltado à redescoberta dos ensinamentos conciliares, contidos principalmente nas quatro Constituições do Vaticano II: Dei Verbum (DV), Sacrosanctum Concilium (SC), Lumen Gentium (LG), Gaudium et Spes (GS). O ano de 2024 é dedicado inteiramente à oração, avançando na preparação para o Jubileu 2025: “Peregrinos de Esperança”